Por: diario | 22/08/2019

O grupo de voluntários Quem Ama Castra, em parceria, com a Prefeitura de Ibirama, realiza nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, mais um mutirão de castração de animais domésticos. As inscrições, que são limitadas, devem ser feitas no Sindicato dos Trabalhadores da Indústria e Construção Mobiliária de Ibirama, localizado na rua 3 de Maio, 80, sala 205 – Centro. O atendimento ocorre às terças e sextas, entre 9h e 17h, sendo prioritário a famílias da região do Vale Norte com renda de até três salários-mínimos.

Os mutirões são realizados em novo espaço, na antiga Escola Municipal do Bairro Areado, localizada na Avenida Castelo Branco, em Ibirama. O imóvel foi cedido pela Prefeitura para uso do Coral Cativar, que compartilhou as instalações com o grupo de voluntários Quem Ama Castra.

O município fica responsável pela cessão do espaço e de parte dos materiais cirúrgicos e de saúde, utilizados nos procedimentos, além de fornecer a destinação correta do lixo infectante e reciclável. A Prefeitura também contribui com apoio publicitário e doação de materiais de escritório, de limpeza e higiene, transporte de materiais e empréstimo de equipamentos, como lixeiras e colchonetes.

Castração é questão de saúde pública

Os mutirões possibilitam a comunidade um serviço com valor mais acessível e são priorizadas famílias de Ibirama, com renda familiar de até três salários-mínimos. As castrações são realizadas com o apoio de médicos veterinários parceiros, seguindo todas as orientações do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Santa Catarina.
Desde 2017, os voluntários realizaram mais de 1,1 mil esterilizações. A estimativa é que, se não castrados, esses animais pudessem gerar mais de 15 mil filhotes, entre gatos e cães.

De acordo com um dos voluntários, Marcos Miranda, as novas instalações utilizadas para os mutirões retratam uma importante conquista para a causa animal na região do Vale Norte. “Com este suporte do poder público conseguimos alcançar mais fácil nossos objetivos, que são evitar os maus tratos e abandono de animais”, frisou.
Durante a inscrição, os interessados devem pagar um valor social, para subsidiar medicamentos e anestésicos utilizados durante os procedimentos cirúrgicos.