Por: diario | 10/02/2019

O prazo para entrega da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2019 – ano base 2018 – terá início em março e vai até abril. Assim, é importante as pessoas se organizarem para a entrega desse documento, evitando atrasos e erros no documento. Uma das principais orientações é a separação dos documentos necessários com antecedência.

O diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil, Richard Domingos, alerta que o recomendado é que as pessoas se antecipem.

“Já estruturamos uma área específica para tratar o tema, providenciando para os clientes a elaboração, análise e entrega de sua declaração. O primeiro passo para esse trabalho, começa com o próprio contribuinte que tem que separar o quanto antes, os dados e documentações que servirão de base para o preenchimento”, aler

Ele informou ainda que não foi liberado o programa para 2019, assim, não se sabe sobre todas mudanças que acontecerão. Até o momento já se tem duas novidades, uma é que se torna obrigatório informar o CPF de qualquer dependentes e/ou alimentandos independentemente da idade. Além disso, serão obrigatórias informações completas referentes a veículos e imóveis. Para às movimentações ocorridas no ano calendário imediatamente anterior.
Sobre o IR

O Imposto sobre a Renda de Pessoa Física (IRPF) é um tributo obrigatório cobrado sobre rendimentos do contribuinte. Trata-se de uma forma que o Governo tem de arrecadar valores revertidos em investimentos nos setores básicos, como infraestrutura, educação e serviços sociais.

Anualmente, o contribuinte que tiver rendimentos superiores anuais superiores a R$ 28.559,70 no ano anterior, deve apresentar a Declaração Anual do Imposto de Renda (DIRPF). Nela, o cidadão deve informar todos os seus rendimentos com salários, aplicações, bens, recebimento de aluguel e qualquer provento que indique alteração de patrimônio.

Porém, algumas pessoas são dispensadas do pagamento do IR, assim como não são obrigadas a apresentar a declaração. É a chamada isenção do imposto de renda, benefício previsto em lei que contempla os contribuintes não enquadrados nos requisitos para declaração do IR junto à Receita. Saiba mais sobre o tema a partir de agora.

O que é a isenção do imposto de renda?

A isenção do imposto de renda, é um benefício que dispensa contribuintes que não se enquadram nos requisitos exigidos para apresentação da declaração. Os isentos do pagamento do IR são aqueles que se encaixam nas seguintes situações: rendimento mensal inferior a R$ 1.999,18; proprietários de bens com valor superior a R$ 300 mil, desde que uma parte deles pertença a companheiro ou cônjuge de união estável, mediante regime parcial de bens; dependentes do titular de outra declaração; aposentados maiores de 65 anos cuja renda seja exclusivamente a aposentadoria; rendimentos exclusivos de pensão por morte ou reforma militar; enfermidades graves (alienação mental, AIDS, cardiopatia grave, tuberculose ativa, esclerose múltipla, espondiloartrose anquilosante, fibrose cística, Parkinson, hanseníase, Paget em estado avançado, nefropatia e hepatopatia grave, contaminação por radiação, cegueira, paralisia incapacitante e irreversível) – em acordo com a Lei 7.713/88.