Por: diario | 26/09/2017

O prefeito de Aurora, Alfonso Maria de Souza, o Fumo, e o vice-prefeito, Alexsandro Kohl, o Xandão, ambos do PMDB, foram absolvidos do crime de compra de votos, julgado na noite de ontem pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A decisão dos julgadores foi de cinco votos favoráveis à tese da defesa e dois contrários.

De acordo com a advogada de defesa de Fumo e Xandão, Fabiana Linhares, a coligação adversária, a qual fez a representação, poderá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral. “Este é um direito que eles têm, porém, devido a maioria de votos favoráveis à defesa no TRE, não devem fazê-lo”, explica.
Fumo e Xandão tiveram os diplomas cassados em dezembro de 2016 pelo juiz de Direito Cláudio Márcio Areco Júnior, à época, juiz da 102ª Zona Eleitoral. Eles assumiram a gestão em Aurora por meio de uma liminar concedida pelo TRE.

A condenação dos candidatos, em primeira instância, teria sido motivada por um vídeo, gravado no dia 29 de setembro, dois dias antes das eleições do ano passado, onde Fumo aparece supostamente negociando a compra de quatro votos com eleitores.

O processo teve início após uma representação feita pela coligação adversária Respeito pelo povo e pelo que é do povo, que tinha como candidato a prefeito Vilmar Zandonai, o Mazinho.

A tese da defesa apresentada aos julgadores é que o vídeo foi obtido de forma ilícita e classificado como armação, produzida pela coligação adversária. “Inclusive embasamos nossa defesa usando a jurisprudência do próprio TRE, onde ocorreram casos semelhantes e os vídeos não puderam ser usados como prova legal”, explica a advogada.

Fumo e Xandão foram eleitos com 2.350 votos (54,39%) contra 1.971 (45,61%) da coligação adversária, formada por Vilmar Zandonai (PP), o Mazinho, e Jairo Stupp (PP), nas eleições de 2016.

Rafael Beling