Por: diario | 12/01/2018

O Somar Floripa disponibilizou um telefone para interessados em encaminhar donativos para os cerca de 1,3 mil desalojados e desabrigados atingidos pelas chuvas. O telefone é 48 – 32516340. Quem tiver interesse em ser voluntário é só efetivar o cadastro no site http://somarfloripa.com/.

Foto: Celesc

Os pontos de doações são: Intendência Ingleses (Gabi: 48 99622-9513), Intendência Campeche (Edi: 48 99960-1587), Prefeitura Municipal de Florianópolis (Somar: 48 3251-6340), Sec. Municipal do Continente (Mauricio Vilela: 48 99695-7443).

A entidade é uma rede solidária da Prefeitura de Florianópolis que conecta os cidadãos às Organizações da Sociedade Civil do município para realizar trabalhos voluntários de cuidado das pessoas, da comunidade e dos animais.

Foto: Celesc

Situação de emergência

A Prefeitura de Florianópolis decretou Situação de Emergência nesta quinta-feira (11), em razão da precipitação acumulada de 400 milímetros em 48h. O documento foi assinado pelo prefeito Gean Loureiro, após ele sobrevoar os principais pontos atingidos nos bairros da capital acompanhado do Secretário Estadual da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli. A preocupação maior neste momento é atender a população que vive em áreas sujeitas a deslizamentos e com os pontos de alagamento em diversas regiões do município.

De acordo com a Defesa Civil, 1,3 mil pessoas foram obrigadas a deixar as casas. Estão abrigadas junto com amigos e parentes ou em prédios públicos improvisados para recebê-las, como a Escola Donícia Maria da Costa, no bairro Saco Grande, e a Passarela Nego Quirido, no Centro.

Nos dois locais há equipes preparadas para receber a população que foi orientada pela Defesa Civil Municipal a deixar as moradias. “Nossa preocupação principal neste momento é com as encostas e áreas de risco de deslizamento e alagadas, além da mobilidade urbana. Por isso a importância de as pessoas ficarem em suas casas e somente se deslocarem em caso de extrema necessidade”, destaca o prefeito.

O governador Raimundo Colombo (PSD) autorizou a liberação de R$ 3 milhões após o prefeito Gean Loureiro (MDB) decretar situação de emergência.

Uma força tarefa está sendo executada em parceria com os órgãos de segurança pública e assistenciais do Estado e do município. Pelo menos 30 imóveis estão interditados por risco de desabamento, quatro pontes foram totalmente destruídas, além de danos em diversas vias públicas e rodovias.

Ainda não há estimativa de danos privados, considerando que são incontáveis os prejuízos a bens particulares, como carros, eletrodomésticos e móveis.

Outros municípios do litoral catarinense também foram afetados, são eles: Lauro Muller, Imbituba, Braço do Norte, São José, São João Batista, Biguaçu, São Francisco do Sul, Penha, Itapema, Balneário Camboriú, Itajaí, Bombinhas, Navegantes, Camboriú, Itajaí, Bombinhas, Navegantes, Porto Belo, Governador Celso Ramos, Tijucas, Palhoça e Canoinhas.

Foto: James Tavares/Secom

Principais pontos interditados

SC-401, Norte da Ilha: pista está parcialmente interditada em ambos os sentidos, principalmente na altura de Cacupé.

 

SC-404, Lagoa da Conceição: há dois pontos de interdição parcial. Um deles é no ponto conhecido por Trevo do LIC. O segundo e mais complicado é próximo à Alameda Casa Rosa, onde a rodovia está cedendo.

 

SC-405, Sul da Ilha: no Rio Tavares há dois pontos de alagamento: no km 2,7 (próximo ao Supermercado Imperatriz), e no km 1.

 

SC-406: entre a Barra da Lagoa e a Praia Mole: há desmoronamento de terra no local. Retroescavadeiras estão sendo mobilizadas para limpar a pista.

 

Coqueiros: Av. Almirante Tamandaré

 

Divulgação: WhatsApp

Divulgação: WhatsApp