Por: diario | 17/06/2016

Julieti P. Largura

Amarildo Idio Passos é publicitário, diretor da Associação Brasileira das Agências de Publicidade (ABAP) e vice-presidente da Associação Latino Americana das Agências de Publicidade, responsável pelo Festival Internacional de Gramado. Passos também é sócio de uma das agências de publicidade mais premiadas do estado, instalada em Criciúma. Atualmente ele se destaca pelas atividades realizadas com o marketing político e organização de estratégias em campanhas eleitorais, tendo vencido 13 das 14 eleições que dirigiu.

Ele lembra que desde o ano 2000 começou a trabalhar em campanhas eleitorais e a realizar estudos sobre a evolução do marketing político e criar estratégias e conceitos que acreditava que poderiam contribuir para tornar um candidato vitorioso. “Mágica não existe, o que existe é a expertise na forma de fazer”, comentou. Passos diz que a inspiração veio de pilares de planejamento que são utilizados na iniciativa privada. “Pegamos algumas dessas ferramentas e passamos então a se utilizar delas no processo das campanhas eleitorais. Começamos a tratar as campanhas eleitorais como o projeto de uma empresa e deu certo”, explicou.

O publicitário também lançou um livro, intitulado Eleições: como chegar à vitória, contendo o resultado desses estudos e ferramentas importantes que podem definir uma disputa. “Na minha ótica e no estudo que a gente passou a desenvolver, uma campanha ela praticamente se define antes do pleito iniciar. Então essa história de que há 45 dias de eleição, isso não é assim.Então você tem que construir bem o caminho para vitória ou para derrota antes do dia 15 de agosto”, comentou Passos.

Ele ainda explica que atualmente são raros aqueles municípios que possuem uma vivência partidária muito forte e que é a sigla que define uma campanha. Ele acredita que a maioria das vezes o processo de construção da vitória passa por algumas etapas que vão desde a análise do candidato, aliança com o próprio partido, e alianças políticas. “É o pacto de entendimento com as forças vindas da sociedade, com as entidades, com as famílias e profissionais influentes, são os seres humanos que influenciam. Esses são os grandes pactos, as grandes alianças”.

Outra questão comentada pelo profissional é o domínio do ambiente necessário para a elaboração de um projeto eleitoral. “Tem que conhecer todas as variáveis políticas do município, não só do candidato, dos aspectos fortes dele e dos aspectos fracos, mas dos adversários, quem são, quem não são, as pessoas que influenciam contra ou a favor do candidato, o histórico político desse município e a realidade política. Tem que ter domínio disso para poder mexer as peças no momento adequado. Outra questão é o domínio da realidade econômica, os detalhes da economia, as variáveis existentes. Outro foco é o cultural, o comportamento cultural dessa sociedade”, recomendou.