Por: diario | 09/01/2019

Com as 16 vítimas fatais no ano passado, chega a pelo menos 205 o número de mortos em acidentes de trânsito nos últimos dez anos no trecho da BR-280 previsto para a duplicação da rodovia federal, os 77 quilômetros entre São Francisco do Sul e Jaraguá do Sul. A maioria das mortes no passado foi em Araquari e Guaramirim, com seis vítimas em cada município.

Os dados coletados pela coluna, com base em informações da Polícia Rodoviária Federal ao longo dos anos, só contam os óbitos ocorridos no momento do acidente, eventuais mortes no transporte para o atendimento ou no hospital não entram na conta.

Ainda que tenha sido registrado um número elevado de mortes, 2018 foi um dos anos da década com menor mortalidade: somente em 2013, com 15 vítimas, foi contabilizado um número menor. Em 2017, houve uma morte a mais em comparação com o ano passado. 

O ano mais violento no trânsito nesse trecho da rodovia federal foi em 2014, com 38 mortes – somente em dois acidentes, foram dez vítimas fatais. Nos últimos dez anos, são mais de 500 feridos em acidentes de trânsito, segundo os levantamentos da PRF.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

A duplicação iniciou em São Francisco do Sul no final do ano passado. Nos lotes de Jaraguá e Guaramirim, com trabalhos desde 2014. foram executados 35% da duplicação. A escassez de recursos impede o avanço mais rápido das obras. 

O uso dos trilhos

Em resposta a questionamentos da Defensoria Pública da União sobre o futuro das linhas de trem a serem desativadas com a construção dos contornos ferroviários de Joinville e de São Francisco do Sul, o DNIT informou que há interesse das prefeituras em assumir os ramais, mas nada foi formalizado ainda. As obras têm alguma chance de serem reiniciadas no final deste ano, caso as licitações venham a ser lançadas no segundo semestre. A DPU também quis mais informações sobre procedimentos relacionados às ações envolvendo o patrimônio da antiga Rede Ferroviária. 

Prioridades

Em referência a iniciativa do deputado federal eleito Coronel Armando (PSL) de buscar recursos para construção de arena de esportes multiúso, leitor escreve para sugerir que o futuro parlamentar busque recursos para a recuperação do ginásio Ivan Rodrigues, devolvido pela Prefeitura de Joinville ao governo do Estado e mapeado para ir a leilão. A outra recomendação é de busca de dinheiro para a manutenção de espaços esportivos já existentes. 

Transição do governo

O fato de o novo governo não ter mexido ainda na maioria dos cargos estaduais em Joinville, com exceção das exonerações na ADR e no Iprev, não quer dizer que não poderão ser realizadas mudanças: a carta do PSL/SC de apoio ao governador Carlos Moisés deixa claro que a transição vai demorar 90 dias, com alterações nos cargos até lá. Ou seja, garantia de permanência só depois de março.

Por Saavedra
NSC Total