Por: diario | 30/10/2019

 

Luana Abreu

 

Mesmo longe da função pública, o prefeito de Ituporanga Osni Francisco de Fragas, o Lorinho, continua recebendo o salário de prefeito. A informação consta no Portal da Transparência da Prefeitura de Ituporanga. Os dados são relativos ao mês de setembro de 2019 e apontam que ele recebe um salário bruto mensal de R$ 19.883,57.

 

Em 15 de julho, o então prefeito de Ituporanga, Lorinho (PSDB), foi afastado do cargo, por 180 dias pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina, com base em um pedido do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). A suspeita é de que ele tenha cometido crimes contra a administração pública relacionados com a coleta do lixo do município. Com a medida, o vice-prefeito Gervásio Maciel (sem partido) assumiu o comando da cidade.

 

Conforme o MP, foram identificados indícios de ilegalidades desde a contratação inicial dos serviços de coleta de lixo até a execução do contrato, como duplicidade de pesagem dos resíduos recolhidos e utilização de tíquetes de pesagem falsificados. Com tais procedimentos, os valores a serem pagos à empresa prestadora dos serviços eram indevidamente aumentados, gerando também o pagamento de vantagens ilícitas a agentes públicos.

 

A própria Câmara de Vereadores de Ituporanga abriu, no início do ano, uma Comissão Parlamentar de Processante (CPP) para avaliar divergência entre a quantidade de lixo recolhido pela empresa e o montante que chegava até o aterro. De acordo com a denúncia feita pelo ex-secretário de Urbanismo, Leandro May, a diferença mensal chegava a 85 toneladas, o que representa um pagamento de R$ 32 mil a mais.

 

Em 15 de outubro a CPP foi votada pelos parlamentares, mas não obteve votos suficientes para seguir tramitando. O placar foi de sete votos pela cassação e quatro contrários.