Por: diario | 02/05/2017

Para alertar a população contra a Asma, popularmente conhecida como Bronquite Asmática ou Bronquite alérgica, uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, o dia 02 de maio é marcado o Dia Mundial de Combate à Asma. Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), apenas no Brasil, estima-se que existam aproximadamente 20 milhões de pessoas que apresentam quadro asmático.

O pneumologista do Hospital Dia do Pulmão, Mauro Kreibich, alerta que a asma pode atacar principalmente na chegada das baixas temperaturas. “É preciso estar atento aos sintomas e agravamentos, além de dobrar os cuidados durante o inverno, já que estes agentes aéreos e doenças infecciosas se manifestam facilmente nos ambientes fechados e podem piorar os quadros de Asma. As mudanças de temperatura e outros elementos aerodispersíveis (pós, poeiras, gases e produtos químicos) são outros fatores que geram preocupação para quem sofre de Asma, pelo fato das vias respiratórias mais sensíveis”, ressalta.

A Asma consiste no estreitamento de canais de ar dos pulmões, os chamados brônquios, o que dificulta a respiração, causando tosse seca, chiado e sensação de aperto no peito. É uma doença que pode surgir desde a infância e que não tem cura, mas possui tratamento que, na maioria dos casos, permite vida normal, evitando as crises e gravidades.

As características genéticas e ocorrências familiares variam de caso para caso, assim como os sintomas podem ser mais fortes ou mais leves em diferentes indivíduos. Entretanto, o especialista explica que em mais de 50% das situações os agentes que se manifestam no ar, como poeira e mofo, assim como as doenças infecciosas, como resfriados e gripes, são os principais inimigos dos asmáticos.

 

Prevenção

Para evitar que as crises de Asma se desenvolvam neste período de baixas temperaturas é importante realizar algumas medidas de prevenção. Confira as dicas do pneumologista:

– Mantenha a casa limpa, livre de sujeiras e poeiras, e as janelas abertas, para que os cômodos tenham ventilação adequada;

– Use panos úmidos para limpeza do pó domiciliar, evitando que a poeira seja dispersa no ambiente;

– Utilize capas especificas (com filtro H.E.P.A) para cobertores, travesseiros e colchões;

– Exponha as roupas ao calor (ferro elétrico, máquina de secar ou sol), para diminuir a propagação de Ácaros (principal alérgeno respiratório);

– Se a umidade do ambiente permanecer alta com as medidas habituais, avalie a possibilidade de utilizar os desumidificadores;

– Evite ambientes poluídos por qualquer pó, poeira, gases ou produto químico. O tabagismo ativo ou passivo também deve ser evitado;

– Discuta com o seu médico a medicação de manutenção e de resgate, além das ações preventivas.

– As vacinações (antigripal e bacteriana) beneficiam em muito a prevenção das infecções respiratórias, frequentemente responsáveis pelo desencadeamento das crises respiratórias.

 

Últimas notícias:

Bandeira vermelha será mantida em maio

Dia do Pedal reúne 850 pessoas

Bancos terão que oferecer canais para denúncia de práticas ilícitas

Campeonato da Liga terá 20 clubes