Por: diario | 18/02/2017

A edição 2017 do Dia de Campo Cravil, promovido no Polo Tecnológico da Cooperativa em Lontras, reuniu cerca de 2.500 agricultores do Alto Vale do Itajaí e de outras regiões de Santa Catarina. O evento,  que foi realizado durante três dias, trouxe tecnologias que podem melhorar a produção agrícola na região.

O espaço foi bem aproveitado, com mais de 50 estações voltadas para as principais culturas cultivadas em propriedades da região, como explica o engenheiro agrônomo da Cravil e coordenador do evento, Neimar Francisco Willemann. “A nossa região é bem diversificada em termos de culturas cultivadas, mas o foco principal é nas culturas de milho, soja, arroz, feijão, alguma coisa do próprio fumo, hortaliça e a área de pecuária voltada para a pastagem, o manejo de pastagem para a produção de leite”, explicou. Só na área de pecuária, a Cravil e as empresas parceiras apresentaram um portfólio com uma coleção com cerca de 30 variedades de pastagem perene.

A variedade de culturas presentes no Polo Tecnológico é um retrato da agricultura no Alto Vale. Willemann comenta que muitos agricultores diversificam e produzem mais de uma cultura na propriedade. “O evento também tem esse objetivo, mostrar a tecnologia nas diversas culturas”, observou.

O evento acontece uma vez por ano, e os agricultores são convidados a participar através das filiais da Cravil, distribuídas no Alto Vale. Neste ano, o Dia de Campo também reuniu produtores de outras regiões como Itajaí, Ilhota, Guaramirim, Otacílio Costa e Bom Retiro.

No Polo Tecnológico, os visitantes podem acompanhar as novidades em técnicas para melhorar os resultados de produtividade e da qualidade do produto, com os resultados já presentes nas próprias estações que são montadas. O engenheiro agrônomo da Cravil, explica que isso facilita na tomada de decisão para o agricultor, além de gerar economia. “Se ele tiver que fazer todas as experiências ele vai perder muito tempo, são muitos anos até conseguir ter conhecimento e domínio das tecnologias”. Willemann comentou ainda que durante o evento, a quantidade de conhecimento que pode ser adquirido, substitui o tempo que seria gasto com tentativas de experiências para melhores resultados. “Ele não vai estar arriscando algo que ele não tem nenhuma informação sobre, em um ou dois dias que ele visita vários estandes, consegue absorver um monte de informação em termos de tecnologia e de novos produtos para a agricultura”, concluiu.

Empresas participam de exposição

Neste ano, o Dia de Campo Cravil também contou com a participação de empresas que puderam expor seus produtos, como as concessionárias de máquinas e equipamentos agrícolas. A empresa D’arruda Comércio de Madeiras também participou do evento e montou uma estrutura em madeira tratada, que funcionou como posto de recepção no Polo Tecnológico. O diretor da empresa, Paulo Arruda Filho, explica que o evento trouxe bastante oportunidade em negócios e que a empresa aproveitou para apresentar uma novidade na linha de produtos. “Estamos expondo produtos nossos, como palanques e estacas para cerca elétrica.Lançamos um produto que é o kit de baias móveis, para o pessoal levar para os eventos, é possível montar e desmontar em diversas configurações”, explicou.

A estrutura de cinco metros por 10, utilizada na recepção do evento e montada pela D’arruda, foi negociada durante o Dia de Campo Cravil. “Acabamos já negociando para um cliente, ele vai usar para uma área de festa. A gente vendeu a um preço promocional por R$ 6.500,00 e assim como essa venda, a gente tem outros negócios para fechar em virtude do evento”, comemorou Arruda Filho.

Albanir Júnior