Por: diario | 11/01/2019

Um documento que foi assinado por três dos quatro deputados federais eleitos pelo PSL em Santa Catarina, pediu ao presidente nacional do partido, Luciano Bivar, a destituição da Executiva em Santa Catarina. Atualmente a sigla é presidida pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

Segundo o documento, o motivo é que Esmeraldino teria nomeado uma nova Comissão Executiva Estadual, no final de 2018, sem ouvir as bases do partido, além de se distanciar das lideranças municipais. Os deputados alegam, ainda, que assumindo cargo no primeiro escalão do novo governo, Lucas Esmeraldino está impedido de comandar o PSL em Santa Catarina.

No texto os deputados alegam que estranharam a forma como o processo foi conduzido. “No apagar das luzes de 2018, sem critérios, sem diálogo e de forma personalista. Os nomes foram escolhidos pelo presidente estadual da sigla, de forma unilateral. Um líder partidário deve dialogar com a base para que disponha de legitimidade e, assim, tenha capacidade de mobilização da militância, de lideranças regionais e de eleitos. Isso não está acontecendo.”, escreveram.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

No requerimentos os políticos ainda reafirmaram total apoio ao governador Carlos Moisés da Silva mas completaram dizendo que não concordam a exclusão da base em relação as decisões do rumo do PSL catarinense. “O grupo entende que os eleitos, suplentes, filiados e militantes precisam estar sintonizados com o projeto partidário claro e abrangente, projeto que este que precisa estar sintonizado com o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Ademais, o atual presidente estadual do PSL assumiu uma Secretaria importante no novo governo estadual e dificilmente conseguirá dedicar o tempo que a administração do partido merece e necessita neste momento tão delicado de transição política no Estado e no país”.

Os três deputados reiteram apoio ao governo Moisés e indicaram uma nova Executiva Estadual. Ela teria na presidência a deputada federal Caroline De Toni, como vice o deputado federal Luiz Armando Schroeder Reis e como secretário-geral o deputado federal Daniel Costa de Freitas.

A reportagem do Diário do Alto Vale entrou em contato com Lucas Esmeraldino, que preferiu não se manifestar sobre o assunto, mas em uma carta escrita ele ressaltou que o PSL de Santa Caraina virou case de sucesso graças a confiança dos eleitores e afirmou que em apenas cinco meses, foram criadas mais de 150 executivas municipais, sendo 120 homologadas. O presidente da sigla declarou ainda que o PSL chega ao governo de SC com a missão de enxugar a máquina pública, ampliar investimentos e estimular o crescimento do setor produtivo, gerando emprego e renda.

Na carta ele ainda citou planos para os próximos dias a frente da Executiva Estadual. “O momento requer serenidade, transparência, respeito, união, foco e muito trabalho, para que o Estado cresça e se desenvolva, fomentando oportunidades e criando empregos, trazendo vida com qualidade a todos que nasceram ou escolheram a nossa Santa e bela Catarina para viver. Nos próximos dias, uma reunião da Executiva Estadual estará acontecendo, com o objetivo de pontuar as diretrizes do partido para este ano, bem como serão agendados encontros com as comissões provisórias municipais, cuja vigência encerrou em dezembro de 2018”, afirmou.

Tatiana Hoeltgebaum