Por: diario | 15/05/2017

Albanir Júnior

O deputado federal João Paulo Klenübing (PSD) cumpriu agenda nesta sexta-feira (12) no Alto Vale, além de visitar alguns municípios como Rio do Sul, ele também visitou o Hospital Regional Alto Vale, para acompanhar a conclusão das obras do Centro de Oncologia, no qual teve participação, enquanto ocupou o cargo de secretário de Estado da Saúde. Durante a passagem pela região visitou a redação do Jornal Diário do Alto Vale e falou da retomada do mandato legislativo, na Câmara Federal em janeiro desse ano.

A Reforma Trabalhista teve o voto favorável do deputado, Kleinübing comenta que a decisão foi motivada pela necessidade de atualização, já que a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) é de 1943. Além disso ele levou em consideração a manutenção dos principais direitos, como Fundo de Garantia, Décimo Terceiro Salário, Férias remuneradas e Licença Maternidade. “A Reforma Trabalhista é muito mais uma modernização da legislação, do que uma reforma propriamente dita, ela procurou modernizar a legislação, buscando novas formas de contrato de trabalho, especialmente para as atividades mais modernas”, observou.

O pessedista comenta ainda que foi contrário ao projeto original da Reforma da Previdência, ao qual classificou como muito duro. Na avaliação do parlamentar, mudanças no texto original como idade mínima de aposentadoria diferente para homens e mulheres, a questão do trabalhador rural preservada como nos dias de hoje, pensão por morte não ser menor do que o salário mínimo brasileiro e a regra de transição que estava muito rígida, segundo o deputado precisa ser levado em consideração além da idade o tempo de contribuição que o trabalhador já tem. Pontos que segundo o Kleinünbng já avançaram ao serem atendidas pelo Governo, o deputado ainda estuda o posicionamento que irá adotar na votação. “A Reforma da Previdência tem um impacto muito grande na vida das pessoas é um processo que vai algum tempo ainda de análise, buscar reformar a Previdência corrigindo distorções e reduzindo privilégios é absolutamente necessário para a garantia da sustentação da Previdência no futuro”, declarou.

 

Projeto ISS

O Congresso deve derrubar na próxima semana, o veto do presidente Michel Temer para validar o projeto que prevê a arrecadação do Imposto Sobre o Serviço (ISS) com operações do cartão de crédito e financiamento de veículos para os municípios em que a compra é efetuada. De acordo com Kleinübing, hoje toda essa receita vai para um município do interior de São Paulo. “Hoje todo esse imposto é pago em uma única cidade no interior de São Paulo, que acaba fazendo uma guerra fiscal, ela baixa muito o percentual do imposto, contra a lei para conseguir concentrar lá a arrecadação, isso é uma fraude que é feita”

Os 295 municípios catarinenses, deixaram de arrecadar cerca de R$ 230 milhões de ISS com as operações de cartão de crédito e financiamento de veículos no ano passado. A expectativa é que o Congresso derrube o veto na próxima semana, durante a Marcha dos Prefeitos.

 

Emendas

O deputado federal também anunciou recursos de emendas parlamentares, Rio do Sul receberá R$ 1,1 milhão, sendo R$ 700 mil para infraestrutura, R$ 250 mil para o Hospital Samária e mais R$ 200 mil para o Fundo Municipal de Saúde. Os municípios de Ibirama, Laurentino e Taió receberão R$ 500 mil para infraestrutura.