Por: diario | 23/08/2019

Depois de seis meses de investigações a Comissão Parlamentar de Inquérito, a CPI, que investigava irregularidades na coleta de lixo em Ituporanga, concluiu os trabalhos e apresentou o relatório final na Câmara de Vereadores. Com mais de 100 páginas, o documento que foi lido na íntegra, apontou que o prejuízo aos cofres públicos passa dos R$ 2 milhões e as possíveis fraudes nos serviços prestados pela empresa Say Muller, teriam como principais responsáveis o prefeito Osni Francisco de Fragas e o secretário da Fazenda, Arnito Sardá, ambos afastados da administração.

Os trabalhos da CPI foram conduzidos pelo presidente Leandro Heinzen (PSB). A comissão teve como relator Édio Daniel Fernandes, Édinho (MDB) e membros Rodolfo Stadnik Filho “Fuk” do (PP), Jaime Roberto Sens (PSDB) e Diogo Gastaldi (MDB). “ Foi uma sessão de quase três horas, e após a leitura do relatório, feita de forma clara e objetiva pelo vereador Edinho, o mesmo foi colocado em discussão e votação. Foi aprovado com oito votos favoráveis e dois contrários, do vereador Jaime Sens e Gervásio Thol. E tivemos uma ausência na casa, do vereador Mário que alegou problemas de saúde”, explicou o presidente da casa Adriano Coelho (PP).

Como relator, Edio Daniel Fernandes, explica que o relatório foi elaborado depois de muito trabalho. “Foram inúmeros depoimentos, juntada de documentação, diligências feitas externamente, contribuição de todos os vereadores da Câmara principalmente os membros da comissão e de toda a equipe da Câmara que foi colocada a disposição dando toda a assistência. No relatório tentamos mostrar um pouco do que de fato aconteceu e agora toda essa documentação será encaminhada ao Ministério Público para que os órgãos competentes deem sequência aos trâmites com relação as irregularidades que foram constadas e confirmadas por meio do nosso trabalho”, pontuou o vereador.

Para chegar a conclusão das investigações os vereadores membros da comissão se reuniram 18 vezes, realizaram seis diligências externas em empresas envolvidas, foram ouvidas 74 pessoas por meio de depoimentos presenciais na Câmara de Vereadores O presidente da CPI, o vereador Leandro Heinzen (PSB), classifica com a maior investigação já realizada pelo Poder Legislativo de Ituporanga. “Tivemos a participação de todos os vereadores para que fosse dado maior clareza ao relatório. Seis meses de trabalhos realmente intensos. Foram quase sete mil folhas de documentos levantados, e tudo isso será colocado a disposição da população, para que todos possam ter acesso a isso. São muitas situações e podemos dizer as “fraudes” foram grotescas”, relatou.

Heinzen explica ainda que apesar de esclarecer fatos e comprovar várias suspeitas de fraudes, a CPI não tem o poder de julgar os envolvidos. “Toda essa documentação será encaminhada para o Ministério Público e também para o Grupo de Atuação Especial (GAECO), que já vinham investigando essas possíveis irregularidades na coleta de lixo em Ituporanga. Cabe dizer que o GAECO estava muito a frente das investigações, e a CPI acabou auxiliando, fomos parceiros também, no compartilhamento de documentos e até depoimentos. E além de repassar todo esse relatório para os órgãos competentes que poderão responsabilizar os envolvidos e uma das deliberações da CPI é o a imediata suspensão dos trabalhos da empresa Say Muller em Ituporanga ”, finalizou Heinzen.