Por: diario | 14/10/2016

Albanir Júnior

A contenção de despesas da prefeitura de Rio do Sul, chegou a Guarda Municipal. Nesta semana os agentes foram informados do corte do pagamento de horas extras. A medida adotada para economizar, pode comprometer os serviços, já que a escala diária, que já é enxuta, pode ser reduzida ainda mais.

Atualmente a Guarda Municipal conta com um efetivo de 20 agentes, que atuam em escalas de 24 horas de trabalho por 72 horas de folga. Dentro dessa escala que gera horas extras por conta do número insuficiente de material humano, trabalham diariamente entre três e quatro guardas. Com o corte de gastos anunciado para entrar em vigor em novembro, o número de agentes na rua pode cair pela metade, ou seja, em alguns dias apenas dois guardas terão de cobrir a demanda durante um dia inteiro.

O inspetor da guarda municipal, Evandro Rodrigues, informou que a Guarda Municipal, foi comunicada nesta semana. “Nos foi avisado a contenção de gastos agora pelo chefe de gabinete [Eduardo Rinnert Schulze] e eles nos passou desse corte de horas extras”, informou.
A Guarda Municipal possui atualmente quatro viaturas e mais duas motocicletas (três estão no conserto) para rondas na cidade, ou seja, são mais veículos do que agentes por dia. Com a redução de gastos, se estuda um banco de horas para folgas, mas isso também comprometerá as escalas.

O serviço de apoio como escolta para passeios ciclísticos, caminhadas, corridas e outros eventos, aos quais a Guarda é solicitada através de ofício, também pode ficar comprometido.

Apesar do anúncio da redução de despesas, Rodrigues afirma vão procurar manter o atendimento que já vinham mantendo, dentro do possível. “Se a gente apoia esses eventos, é guarda com hora extra, combustível a mais que a gente gasta, nós vamos receber os ofícios e analisar se nós vamos ter condições ou não, dependendo do percurso, vendo essa situação de contenção de gastos”, declarou.

A cobertura da Guarda para o Natal, época em que a região central de Rio do Sul, fica bem movimentada por conta das vendas, também pode ficar comprometida. O inspetor explica que algumas alterações podem ser feitas, para que pelo menos a escala atual seja mantida pelo menos para o fim de ano, mas aí os trabalhos no início de dezembro podem ser afetados. “Para o Natal e o Ano Novo, a gente consegue quatro guardas por dia, porque a gente remaneja, ao invés do início do mês estar com maior número a gente joga para o período de maior movimento na cidade”, comentou.

A Guarda Municipal, está na expectativa agora de uma reunião com o Poder Executivo, na próxima semana. “Vamos sentar essa semana com o prefeito e aí a gente vai conversar, ou libera hora extra, ou vamos ter que reduzir os guardas, fazer um plano para não deixar a cidade sem guarda na rua”, finalizou.