Por: diario | 13/06/2018

Os clubes de Rotary do Vale e do Alto Vale se juntaram ao Rotary Club Hermann Blumenau, e juntos apresentaram um projeto de parceria internacional ao Club Denver Mile High, do Colorado, nos Estados Unidos. A parceria adquiriu oito novas máquinas de hemodiálise para a Associação Renal Vida de Santa Catarina. O equipamento está sendo entregue nesta semana pela equipe de rotarianos internacionais. Na manhã desta terça-feira (12) a Renal Vida de Rio do Sul recebeu duas unidades do novo equipamento.

“É uma prazer estar em Rio do Sul recebendo esse apoio fantástico que o Rotary tem nos dado. Serão mais máquinas entregues ainda em Blumenau, Timbó e Itajaí, além de outros equipamentos. Isso é um projeto global, com recursos destinados tanto do Rotary daqui da nossa região e também o Rotary norte americano, da cidade de Denver, no Colorado” revelou o Presidente da Renal Vida de Santa Catarina, Roberto Benvenutti, que acompanhou a entrega das máquinas na cidade.

 

Receba primeiro as notícias do Jornal Diário do Alto Vale, faça parte do grupo de Whatsapp. Clique aqui 

 

“É com muito orgulho que recebemos essas máquinas e a visita dos rotarianos americanos que vem conhecer o nosso trabalho. Isso nos orgulha muito e demostra a confiança no que a gente faz”, felicitou o médico e um dos maiores entusiastas da Associação rio-sulense, Dr. Leontino Ribeiro.

A iniciativa além de beneficiar diretamente os quatro municípios que receberam a doação, também reflete no atendimento de pacientes de 46 cidades do Alto Vale. Atualmente são cerca de 650 pacientes em tratamento contínuo atendidos pelas as unidades.

O presidente do Rotary Club de Rio do Sul Centenário, Jeferson Vieira explica que a iniciativa foi contemplada também com a união local junto do apoio da comunidade, que participa dos eventos promovidos na cidade. “Em Rio do Sul, os dois clubes da cidade, o Rotary Clube de Rio do Sul e o Club Centenário se uniram para levantar um recurso para subsidiar a parte do nosso distrito. Parte dos recursos levantados pelas entidades é destinado a fundação do Rotary, que fez com que nós pudéssemos ser parceiros desse projeto. Importante agradecer a comunidade também que sempre apoia as ações do Rotary, porque é com esses eventos que a gente consegue levantar recursos para dar apoio a diversas entidades aqui da região. O Rotary é uma marca mundial, mas tem atuação local, não adiantaria nos reunirmos todas as segundas se a comunidade não atendesse aos nossos apelos e que hoje concretizamos com a entrega dessas máquinas” contou Jeferson.

“Sabemos das dificuldades de outras unidades e sem o apoio da comunidade você acaba tento dificuldades inclusive em vagas para as pessoas fazerem a hemodiálise. Graças ao apoio da comunidade e a filantropia de entidades para a Renal Vida, nós conseguimos trabalhar” completou o presidente da Renal Vida Roberto Benvenutti.

Renal Vida Rio do Sul

Segundo Dr. Leontino, a associação possui 39 máquinas, sendo 35 renovadas de 2012 até agora. Porém resta comprar mais três máquinas para reserva. “Estamos com quase 100% de máquinas em uso novas, a gente precisa adquirir mais duas ou três para reserva, mas foi renovado todo o parque. Essas máquinas são para 10 anos de uso, daqui uns quatro anos começamos a renovação de novo”, comenta o médico.

Ele comenta ainda que a maior dificuldade da entidade hoje é a falta de espaço para atendimento. “Hoje nossa maior dificuldade, além do subfinanciamento pelo SUS, é a falta de espaço para atendimento a demanda crescente de doentes renais do Alto Vale.Temos aproximadamente doze vagas restantes e, se não fossem os treze transplantes realizados este ano, teríamos de encaminhar os novos pacientes para atendimento em outra localidade” diz.

Para atender a demanda a Renal Vida de Rio do Sul, desde a inauguração em 2004, ampliou a capacidade em 200%, atendendo hoje 150 pacientes de todo o Alto Vale. “Agradecemos as pessoas que ajudam a Renal Vida, com a ajuda de um pouquinho de cada um a gente consegue manter uma qualidade de atendimento para os nossos pacientes”, finaliza Dr. Leontino.

Susana Lima