Por: diario | 26/03/2018

Na última Assembleia da União de Câmaras e Vereadores do Alto Vale do Itajaí (Ucavi), realizada na 7° Festa Estadual do Arroz (Ferroz), o Presidente da Câmara de Vereadores de Rio do Sul, James Rides da Silva (PSD), apresentou um Pedido de Moção de Apelo para o governador do Estado, para que transforme a 1ª Companhia de Bombeiros Militares de Rio do Sul em um Batalhão de Bombeiros. A moção foi aprovada pelos vereadores na Assembleia.

Hoje, a Companhia de Rio do Sul atende todo o Alto Vale, com pelotões em Ituporanga, Trombudo Central, Pouso Redondo e Taió, e possui apenas de dois a três Bombeiros Militares por dia. “Nós trabalhamos com 28 homens para atender os sete municípios do Alto Vale. Há dez anos nós trabalhávamos em Rio do Sul com cerca de 76 homens e hoje não chega a 30. Nós solicitamos essa Moção de Apelo para que a Companhia de Rio do Sul se transforme num Batalhão e isso vem a somar porque aumenta o número de efetivo de Bombeiros no Alto Vale. Com isso todos os 28 municípios vão ganhar benefícios. Com a criação do Batalhão, a efetivação trará maior número de Bombeiros para a nossa região”, explanou James.

Confira o vídeo:

James explicou que hoje há uma deficiência muito grande de Bombeiros, e que a Companhia está bem estruturada com a parte de equipamentos e caminhões, sendo considerada a melhor de Santa Catarina. “O que está faltando é a mão de obra especializada, do profissional habilitado para trabalhar. Com a criação do Batalhão em Rio do Sul, o número de efetivo deve aumentar em mais de um terço e com isto ganha toda a população no atendimento e principalmente na segurança”, contou.

Hoje quando há formação de novos Bombeiros, eles são direcionados ao Batalhão de Lages, que é o qual Rio do Sul pertence. Então o Batalhão de Lages distribui esses soldados, e sobra pra Companhia de Rio do Sul cerca de no máximo dois soldados. “Mas, com a criação do 15º Batalhão, quando se dividir esse número, que são de 300 soldados que deverão se formar até o final do ano, nós receberemos a quantia idêntica aos outros Batalhões do Estado”, frisou.

De acordo com o Presidente, a Moção não traz nenhum erário ao Estado, pois a Companhia está pronta há vários anos aguardando ser credenciada como Batalhão. “Então toda a estrutura já está pronta, até mesmo o profissional que será o Coronel que deve ser deslocado para fazer o comando do Batalhão, já é funcionário público. Então o que precisa é a parte administrativa que cria o Batalhão e a realocação de alguns profissionais para Rio do Sul”, concluiu.

Elisiane Maciel