Por: diario | 21/03/2018

A criação de uma Central Única de Atendimento Integrado entre SAMU e Corpo de Bombeiros, gerou divergências no início do mês na Assembleia Legislativa. O Governo do Estado pretende implementar o novo sistema com o objetivo de diminuir despesas e agilizar os atendimentos. Hoje quando alguém precisa dos serviços de urgência pode ligar diretamente para o SAMU no 192 ou para o Corpo de Bombeiros no 193, e o atendimento é feito pela unidade mais próxima do ponto de ocorrência. Com a implantação do sistema integrado a ideia é que todas as chamadas feitas no estado caiam em uma única central, na capital, que vai encaminhar as equipes de atendimento na região de onde foi feita a ligação.

O deputado Maurício Eskudlark, do PR, se posicionou contra medida “Fui procurado pelos Bombeiros, principalmente pelos Voluntários, mas os Bombeiros Militares também tem esse posicionamento, de que não haverá redução de custo e haverá prejuízo ao usuário, a vítima, as pessoas que precisam do Bombeiro. Isso vai burocratizar, muitas vezes dificultar a descrição do local e a informação que precisa para que os bombeiros possam chegar o mais rápido possível”, disse.

O deputado Vicente Caropreso, do PSDB, defendeu a implantação do sistema. Segundo ele a centralização pode garantir um atendimento mais eficiente para o paciente. “O atendimento pré hospitalar, com algumas reuniões feitas no ano passado na Secretaria de Saúde, através da ACIB, da comissão Inter gestora bipartiste, ele vai ser integrado em todas as formas de atendimento de Santa Catarina, Bombeiros Militares, SAMU e Bombeiros Voluntários. Nós temos que otimizar o uso de recursos públicos, fazendo também com que o doente, a pessoa que acabou de ser acidentada e que precisa de um atendimento pré hospitalar, ela seja rapidamente atendida, mas que seja encaminhada para o local exato que necessita o seu problema”, comentou.

De acordo com o Governo do Estado as adaptações nos quarteis dos Bombeiros, estão sendo providenciadas. As unidades do SAMU, administradas pelos municípios, serão gradativamente integradas a gestão do Estado. A previsão é que o novo sistema entre em operação ainda nesse semestre.
Em reunião em Tubarão no fim de fevereiro, o chefe do Samu estadual coronel BM João Batista, afirmou que a unificação vai, entre muitas vantagens, criar uma central única de chamada. “A otimização visa criar uma estrutura única para o cidadão, tendo a possibilidade de aumentar a cobertura de atendimento, deixar que todos os profissionais estejam em uma frequência de rádio, cortar alugueis, para que no futuro possam ser aumentados os números de serviços, melhorando equipamentos e outras melhorias”, explicou o coronel João Batista.

O comandante do 8º batalhão do Corpo dos Bombeiros, coronel Marcos Aurélio Barcelos, falou sobre o trabalho em conjunto que já ocorre em Tubarão. “O nosso trabalho já vem acontecendo em conjunto. É um trabalho de unificação dos sistemas e isso claro que vai demandar um pouco mais de tempo, mas estamos unidos para prestar o melhor atendimento possível as pessoas”, afirmou.

Receba primeiro as notícias do Jornal Diário do Alto Vale, faça parte do grupo de whatsapp. Clique aqui