Por: diario | 21/01/2019

A conta de luz de janeiro tem chegado nas residências de catarinenses com valores bem maiores do que a média do ano.

Isso levou muitos clientes da Celesc, a companhia distribuidora de energia do Estado, a reclamar do custo maior e suspeitar até de erro na leitura de consumo.

Por isso, a Celesc divulgou nesta sexta-feira à noite um comunicado oficial explicando que as contas subiram pelo maior uso de energia, especialmente com ar condicionado (Leia a nota abaixo), em função dos recordes de temperatura.   

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

Comunicado oficial:

Em relação às manifestações de consumidores sobre a fatura de energia emitida neste mês de janeiro/2019, a Celesc informa que não houve cobrança adicional ou erro no processamento de dados no faturamento da Empresa. O aumento na conta de luz para muitos clientes se deve, em grande parte, ao maior consumo de energia registrado nos últimos meses, especialmente pelo uso de equipamentos elétricos, como ar-condicionado e motores de piscina, em períodos de temperatura elevada. Esse avanço é confirmado, inclusive, pelos elevados índices na demanda de energia registrados pela Celesc nas últimas semanas. Desde dezembro, o recorde foi batido três vezes, em três dias seguidos – 15 de janeiro (4.875MW, 16 de janeiro (4.989,82 MW) e 17 de janeiro (5.030MW). A Celesc reitera que a tarifa de energia elétrica da companhia não é reajustada desde agosto/2018 e orienta que os clientes confiram atentamente o histórico de consumo e o período de apuração da leitura na fatura recebida. Quando se trata de variação de consumo, o cliente pode comparar a leitura atual no medidor do seu imóvel com a leitura apresentada na fatura – a diferença entre os números indica o quanto já foi consumido de energia em kWh no período.  

Uma dica para economizar

Muitas famílias compraram ar condicionado nos últimos anos. Mas para gastar menos, precisam racionalizar o uso ou trocar por um mais moderno. Isto porque o ar é o aparelho que mais gasta energia. O Proteste informa que um aparelho antigo de 7.500 BTUs que fica ligado oito horas por noite gasta R$ 169,92 de luz por mês. Já um aparelho moderno Split, também com 7.500 BTUs e as mesmas horas de uso gasta apenas R$ 65,61 por mês. Isto significa que em 10 meses de economia na conta é possível pagar o aparelho novo.