Por: diario | 18/05/2017

Suellen Venturini

Nos sobrenomes, nos rostos das pessoas, na comida colocada à mesa. Os sinais da história estão preservados em Rio do Oeste. Este mês a cidade celebra os 105 anos de colonização. Em 1912, quando o território ainda pertencia à cidade de Rio do Sul, colonizadores italianos começaram a investir no lugar. Mas não são só os descendentes desta etnia que estão na cidade. “Vieram os italianos, depois vieram os alemães, os poloneses, os portugueses. Ela [a povoação]aconteceu bem no Centro e depois foi se espalhando. Eles visaram muito o rio, que era a forma de transporte da época, e depois se formaram as comunidades no interior”, conta a secretária de Indústria, Comércio, Turismo e Esporte de Rio do Oeste, Elisiana Heidemann Hermann.

Os detalhes desta história estão na memória dos mais antigos, nas tradições preservadas e também no livro Crônica à Margem da História de Rio do Oeste, da professora Alice Bertoli Arns. A obra feita em 1987, que está sempre disponível na Biblioteca Municipal, é uma importante ponte para o passado, mas a Administração Municipal quer criar ainda mais gatilhos para que as origens dos rioestenses permaneçam fortalecidas. A prefeitura planeja criar um Centro de Eventos no complexo da antiga Prefeitura de Rio do Oeste, no Centro da cidade. De acordo com a secretária de Turismo, o prédio passará por uma grande reforma. “A ideia é fazer um anfiteatro, porque ali já era um cinema, então também vai ser resgatada a história da cidade e o prefeito planeja fazer a entrada da forma como era antigamente”, disse Elisiana. Existe também uma preocupação com a estrutura, porque o local é geralmente afetado pela enchente. Segundo Elisiana, o espaço terá também um ponto de informações turísticas. Todos os detalhes estão sendo pensados, desde móveis até as instalações do local. A viabilidade do projeto está garantida, segundo a secretária. “O recurso já está vinculado, já está na conta. Falta só liberarem para começar a obra”, explicou Elisiana.

 

Comemorações

A colonização da cidade completou, no dia 12 de maio, 105 anos e a data especial está sendo celebrada com ações que destacam a cidade. Enquanto organiza a tradicional Festa da Polenta, que acontece na cidade no próximo mês, a Administração Municipal está produzindo e apresentando ao público, por meio das redes sociais, vídeos com imagens aéreas que mostram a beleza dos lugares e fortalecem a importância da cidade. A prefeitura está distribuindo também um material visual alusivo às principais comemorações. “Nós fizemos um adesivo em comemoração aos 105 anos de colonização, aos 59 de emancipação, e já colocamos a festa também e foi distribuído”, informou a secretária de Educação, Deise Cristina Busarello Leite.

O aniversário de 59 anos de emancipação de Rio do Oeste é dia 23 de junho, mas a celebração começa no dia 18, um domingo, com a Festa de Nossa Senhora Consolata, padroeira do município. Já no dia 23 de junho, feriado municipal, a festa terá diversas atrações, que estão sendo organizadas desde já. Segundo a secretária de Educação, os alunos da Rede Municipal estão ensaiando apresentações especiais de música e dança. “Como é o dia do município, vai ser uma dança que vai contemplar todas as etnias que colonizaram o município, que vieram na época para cá. Terá a participação também da escola Alfredo Scottini, com o canto, e as fanfarras também vão participar no dia. Tanto a Mirim quanto a Municipal”, adianta Deise.


Celesc busca empréstimo de US$ 300 mi para a realização de obras

Morador questiona entrega de panfletos

Marcha em Brasília é prestigiada pelo Alto Vale