Por: diario | 08/08/2018

A Padaria Escola no Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep), de Rio do Sul, está praticamente pronta. A estrutura foi inaugurada em abril, mas ainda não entrou em funcionamento porque falta dinheiro para a compra dos equipamentos. De acordo com o coordenador geral da unidade, Patrick Münzfeld, seriam necessários R$ 22 mil para a aquisição dos equipamentos de panificação, mas como não há previsão da vinda de recursos, as aulas no espaço não podem ser iniciadas.

Para conseguir o valor Patrick explica que eles estão inscrevendo o projeto em alguns programas como o Fundo da Infância e Adolescência (FIA), além de outros projetos do Poder Judiciário e da Igreja Católica da Europa. “Estamos inscrevendo vários projetos e programas para conseguir os valores. Estamos viabilizando também junto ao FIA, e ao Poder Judiciário que sempre foi parceiro, e só temos essa estrutura devido ao comprometimento do TJSC e MPSC”, pontuou o coordenador.

 

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

 

Quando a padaria estiver em funcionamento os adolescentes passarão por cursos na área de doces, pães, pizzaria e massas. A instrutora será uma colaboradora da instituição que foi instruída e capacitada com cursos profissionalizantes. “A profissional já foi capacitada pela Prefeitura de Rio do Sul, mas é funcionária do Casep”, completa.

O principal objetivo da padaria escola é ajudar na profissionalização dos adolescentes e contribuir com a ressocialização e oportunidade de inclusão no mercado de trabalho. Atualmente a unidade conta com 16 internos.

“A padaria é justamente para profissionalizar os adolescentes, para eles saírem dessa unidade com um emprego, ou pelo menos capacitados para o mercado de trabalho. Lutamos para fazer uma ressocialização, através da educação, acreditamos nisso”, comentou.

Inicialmente a matéria prima utilizada na padaria será comprada, depois a intenção é conseguir doações junto à comunidade. Os pães serão utilizados no consumo da instituição e também comercializados com uma margem de lucro mínima, para continuar investindo no projeto. “Os produtos serão de início para os próprios internos e depois serão comercializados para outras instituições, para tornar o projeto autossustentável”, explica.

A obra

A estrutura, de 50 m², foi construída por meio de uma parceria com o Poder Judiciário de Rio do Sul, que repassou à instituição quase R$ 43 mil. O valor total da obra foi de aproximadamente R$ 63 mil.

Outros projetos

Com a intenção de oferecer aos jovens oportunidades de integração, ressocialização e conhecimento, além da padaria escola, a instituição tem outros projetos como o Anjos da Leitura, Mini Fazenda, Oficina de Desenho, Oficina de Cartas, Poesia e Artesanatos, Educação Física, Projeto Intersetorial, Projeto Literatura e Projeto Ambiental.

Tatiana Hoeltgebaum