Por: diario | 06/12/2018

Nessa semana, um caso de maus tratos a um cachorro que foi espancado com um cabo de vassoura e em seguida envenenado por um segurança de uma unidade da rede de supermercados Carrefour, em Osasco (SP) tomou conta dos noticiários do país. Porém, esse tipo de situação não é vista apenas em grandes centros.

Na madrugada desta quinta-feira (06), a Polícia Militar foi acionada para ir até o centro de Ituporanga, onde foi constatada a morte de um cachorro por uma flecha, aparentemente de uma balestra (besta). A dona do animal relatou que seu cachorro de estimação foi até a rua na frente de sua casa, quando ela ouviu o latido fino de um cão. Na sequência, ela o viu correndo cerca de 30 metros com uma flecha cravada na parte lateral de seu corpo. Em seguida, o cachorro morreu.

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

A Guarnição realizou rondas pelas proximidades, porém, nenhum suspeito foi localizado. A flecha foi apreendida e o caso será investigado.

O artigo 32 da Lei 9.605/98 determina detenção de três meses a 1 ano e multa a quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos ou realizar experiência dolorosa ou cruel em animal vivo e a punição é aumentada de um sexto a um terço se ocorrer morte do animal.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) anunciou em Plenário nesta quarta-feira (5) a apresentação de um projeto para ampliar a pena para o crime de maus-tratos a animais (PLS 470/2018). O texto também estabelece punição financeira para estabelecimentos comerciais que concorrerem para o crime.

APAD divulga nota de repúdio sobre morte cruel de cão em Ituporanga

Por Educadora