Por: diario | 18/07/2017

O vereador Francisco Goetten de Lima, o Chico, completou metade do mandato da presidência na Câmara de Rio do Sul, diante de uma legislatura bem renovada no quadro de legisladores. Em seis meses passaram pela câmara, através de todos os vereadores, 49 projetos de lei ordinária, 25 de lei complementar, 12 de decreto legislativo, 18 pedidos de informação e 49 moções.

O presidente da Câmara também destaca que houve muitos pedidos de informação. “Apesar que não tivemos as respostas adequadas nesses seis meses, mas agora estamos adequando com o Executivo, para que elas cheguem no Executivo e ao mesmo tempo a gente tenha retorno”, disse.

As reuniões públicas comunitárias fortaleceram a relação com a população, em uma delas o tema escolhido pela população foi o estacionamento rotativo, na região central da cidade. O presidente da Câmara também ressaltou o número alto de multas que o sistema tem gerado, quando a partir do sétimo dia os motoristas não pagam o débito com a Área Azul. “Nós temos aí uma média de mais ou menos 150, 200 multas diárias do estacionamento rotativo”, falou. Algumas alterações necessárias que foram discutidas no encontro foram encaminhadas nesta semana para o Executivo.

Uma das principais marcas de Goetten de Lima no comando do Legislativo, tem sido a economia, um dos setores que sofreu profundo corte de gastos foi a comunicação, o modelo de transmissão das sessões mudou e foi criada uma TV dentro da própria Câmara, para que as sessões e os pronunciamentos sejam acompanhados pela internet.

Neste primeiro semestre a Câmara teve orçamento de cerca de R$3,5 milhões, desse montante a metade foi utilizado para o funcionamento da estrutura, em caixa estão ainda cerca de R$ 1,7 milhão, que devem ser devolvidos ainda na metade desse ano ao Município. O presidente da Câmara quer alinhar o destino dos recursos com o Executivo. “Queremos que seja usado de uma forma mais comprometida com a sociedade, vamos ver as necessidades e aí fizemos o repasse agora no meio do ano e outro no fim do ano para não deixar acumular, porque tem muitas necessidades agora que são urgentes”, declarou.

Até o fim do ano o Legislativo planeja devolver mais cerca de R$ 1 milhão, o restante da sobra deve ser empenhado no projeto e no início da execução da sede própria da Câmara de Vereadores. O planejamento é que o prédio seja construído de forma conjunta com a Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi) e União de Câmaras e Vereadores (Ucavi).

O local é o terreno da Amavi na rua XV de Novembro. A ideia é que seja construído uma estrutura em que as três entidades possam usufruir de forma igual e harmônica, para otimizar os recursos e o espaço, em forma de condomínio. Um estudo já vem sendo realizado, a Câmara já montou inclusive uma comissão para dar andamento no projeto, que deve ser discutido nos próximos 15 dias com as demais entidades envolvidas. “Queremos iniciar a obra nesse ano e concluir até o ano que vem”, comentou o presidente da Câmara.

Com isso o espaço cedido dentro do prédio da prefeitura para o Legislativo voltará novamente ao Executivo e poderá ser utilizado por secretarias.

Albanir Júnior