Por: diario | 03/08/2017

Na manhã desta quarta-feira (02), o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) de Santa Catarina, juntamente com a Polícia Militar do Estado do Paraná, e apoio da Polícia Militar de Santa Catarina nos estados de Santa Catarina e Paraná deflagrou a ‘Operação Integração’, com intuito de reprimir a atuação de uma quadrilha especializada em arrombamento de agências bancárias.
Foram cumpridos 33 mandados de busca e apreensão em residências nas cidades dos dois estados, dos quais resultaram na prisão de quatro pessoas – três delas em flagrante – e apreensão de aproximadamente 80 quilos de explosivos, que seriam utilizados em novas ações criminosas.

A operação decorreu de investigação realizada desde o início de 2017, que apurou crime de organização criminosa voltada a prática de roubos e furtos qualificados, praticados por autores fortemente armados, mediante uso de explosivos, conhecidos vulgarmente por “caixeiros”.

Na tarde de ontem, foi concedida entrevista coletiva na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, em Florianópolis. Na oportunidade, os números foram apresentados à imprensa estadual, e o porta voz do MP explicou que existe a suspeita que cidades do Alto Vale do Itajaí tenham sido exploradas pelos suspeitos, tendo, inclusive, Rio do Sul como possível alvo.

Integração

A Operação foi nominada de Integração em razão da união de esforços dos órgãos responsáveis pela Segurança Pública do Estado de Santa Catarina e Paraná que, em conjunto, conseguiram reduzir consideravelmente as ocorrências voltadas a essa modalidade delitiva.

Participaram da ação o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) de Santa Catarina, juntamente com a Polícia Militar do Estado do Paraná, por meio do 17º BPM de São José dos Pinhais, e apoio da Polícia Militar de Santa Catarina (Bope, 15º BPM de Caçador, Companhia de Porto União, 23º BPM de São Bento do Sul e 12º BPM de Balneário Camboriú).

Prisões

As prisões dos integrantes da organização criminosa no curso da investigação e da operação policial se deram nas mais diversas cidades dos estados de Santa Catarina e Paraná, dentre elas: Navegantes/SC; Rio do Sul/SC; Canoinhas/SC; Camboriú/SC; Rio Negrinho/SC; Curitiba/PR; Fazenda Rio Grande/PR; Janiópolis/PR; Quitandinha/PR; Peabirú/PR; Araucária/PR; e Campo Mourão/PR. A dimensão dos municípios demonstra a profundidade do esquema criminoso investigado.