Por: diario | 25/01/2019

RESUMO

  • O rompimento da barragem da mineradora Vale ocorreu no início da tarde desta sexta-feira (25).
  • Moradores da parte mais baixa da cidade estão sendo retirados das casas, diz Defesa Civil.
  • Ações da Vale em Nova York caem.
  • Há 3 anos, rompimento de barragem em Mariana matou 19.

ATUALIZAÇÃO

As pessoas feridas são duas mulheres, segundo o hospital João XXIII.

Risco de contaminação pode chegar ao Paraopebas e ao rio São Francisco.

ACOMPANHE

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas, chegam hoje à noite a Belo Horizonte para acompanhar e apoiar o trabalho das defesas civis locais, segundo nota da Defesa Civil. A prioridade, neste momento, é o socorro e assistência à população afetada.

O ministro conversou por telefone com o presidente Jair Bolsonaro, que “reforçou a importância de disponibilizar todo o apoio necessário ao estado e município”, segue a nota.

Equipes do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres estão em contato com representantes da prefeitura e governo do estado para orientar nas primeiras ações de resgate às possíveis vítimas e demais necessidades emergenciais, termina a nota.

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Alberto do Santos Cruz, classificou como “lastimável” o rompimento da barragem em Minas Gerais.

“É lastimável, mais uma vez na mesma grande região”, disse o ministro.