Por: Isabel Caetano | 31/03/2018

Você já deve ter ouvido que cães não podem nem chegar perto de chocolate. Pois saiba que essa recomendação não é conto da carochinha. Nossos amigos caninos não conseguem digerir a teobromina, uma molécula presente no cacau. Em seres humanos, esse composto tem uma ação igual à da cafeína, aumentando a disposição e o estado de vigília do cérebro.

Para nós, pequenas doses já aceleram os batimentos cardíacos e aumentam o fluxo de oxigênio e nutrientes para a cabeça, o que é bastante saudável.

Os cachorros, coitados, não aproveitam os mesmos efeitos benéficos. Neles, a tal da teobromina não é metabolizada direito e, assim, ativa o sistema nervoso central por um tempo longo demais. As consequências incluem temperatura corporal elevada, diarréia, convulsões, vômito, respiração ofegante e batimentos cardíacos aceleradíssimos.

Encontrar alguma embalagem vazia da guloseima jogada pela casa levanta, portanto, um sinal de alerta. Mas o tipo de chocolate também importa: a versão amarga é muito mais carregada de teobromina que as versões ao leite. E atenção: os sintomas da intoxicação podem demorar de seis a 12 horas para aparecer. Dependendo da quantidade ingerida e do tamanho da raça, há até risco de morte – embora isso seja raro. Caso você perceba que o bicho não está bem, leve-o ao veterinário.

E os gatos?

A teobromina é ainda mais terrível para eles. Mas os donos de felinos não precisam se preocupar tanto assim: a espécie não é fã de alimentos adocicados simplesmente porque não sente esse gosto direito.

SE O MEU CACHORRO COMER CHOCOLATE, O QUE DEVO FAZER??

Como já dissemos, todo chocolate contém a substância teobromina.

Além de ser tóxica a substância demora para ser eliminada, ficando muito tempo agindo no sangue do animal, podendo ficar no organismo por até 6 dias, pois sua eliminação não acontece pelos rins, somente por via hepática.

Os sintomas vão desde o vômito, diarreia, beber mais água e urinar muito, apresentar náuseas até arritmias cardíacas e convulsões. Em casos mais graves pode até morrer. Hemorragia intestinal pode ocorrer em alguns casos, normalmente entre 12 e 24 horas após a ingestão.

O tamanho do cão também influencia na intoxicação: geralmente a intoxicação é mais comum em animais de pequeno porte, pois há maior quantidade de chocolate disponível em relação ao seu peso.

É mais comum, também, em animais mais jovens e filhotes, pois sua curiosidade natural faz com que ingiram grandes quantidades de alimentos estranhos. As quantidades tóxicas não necessariamente precisam ser ingeridas de uma única vez, já que a teobromina pode permanecer no organismo por até seis dias. Em consequência disso, doses repetidas em dias sucessivos também podem levar à intoxicação.

Infelizmente não existe antídoto para a intoxicação por teobrominas e então o tratamento deve ser de suporte para os sintomas apresentados. Trata-se de uma emergência médica. Se a ingestão for recente (até 3 horas) o veterinário deve tentar fazer o animal vomitar o que comeu. Normalmente, devido aos vômitos e diarreia, o soro na veia deve ser instituído e por isso, muitas vezes, tem que ficar internado até controlar os sintomas.

Caso a ingestão seja de chocolate branco ou um chocolate com baixa concentração de teobromina o que pode ocorrer é somente um quadro gastroentérico (vômito e diarreia) devido à presença de gorduras.

Em qualquer um dos casos, é sempre importante procurar um médico veterinário