Por: Isabel Caetano | 21/04/2018

A cerimônia que comemorou os 45 anos de instalação do Corpo de Bombeiros Militar em Rio do Sul, no dia 6 de abril, teve um momento especial para nós protetores e apaixonados por bichos. A homenagem a labradora Astra e seu condutor, o soldado Jorge Mancilla.

Astra atuou em 28 ocorrências entre 2006 e 2014 quando se aposentou. Sua maior habilidade eram os atendimentos na água.

Tinha em seu currículo inúmeros cursos, treinamentos, seminários, simulações e provas de certificação, alcançando a classificação tanto em provas de nível nacional certificadas pela Associação de Cães de Busca e Resgate do Brasil (Abresc), como em provas em nível internacional, certificadas pela International Rescue Dog Organization (IRO), maior órgão mundial no que se refere à busca e resgate com cães. Conquistou duas certificações nacionais e duas internacionais de busca, resgate e salvamento.

A labradora auxiliou, inclusive, nas buscas em regiões afetadas pela catástrofe climática de 2008, marcando presença em Ilhota e Blumenau.
Astra nasceu em outubro de 2005 e entrou para a corporação em 2006. Estava com 12 anos e meio, ou seja, era uma senhorinha na idade canina.
Ela morreu no dia 2 de março. O tutor encontrou a cachorra na sua casinha. Segundo ele, ela estava na posição que dormia, como se ainda estivesse num sono, mas já sem vida.

Desde 2014, quando encerrou suas atividades junto ao Corpo de Bombeiros, Astra vivia na casa do cabo Jorge Mancilla, na cidade de Ituporanga com outros dois cães. Ela foi o último cachorro de busca do CB de Rio do Sul. Antes, a corporação contou com o apoio de Mika e Preta.

5 coisas que fazem um gato ser feliz

Quando decidimos deixar um animal fazer parte de nossa família, é claro que procuramos fazer o melhor por ele. Donos responsáveis devem estar sempre atentos às necessidades e cuidados específicos de cada bicho de estimação. E, deixar eles felizes, faz parte dessa relação.

Quando um amigo ronronante chega em seu novo lar, é claro que ficará um pouco cauteloso no primeiro momento. Mas logo ficará habituado aos diferentes espaços e muitas vezes nos fará duvidar sobre quem é o verdadeiro dono da casa.

Entretanto, estas adoráveis criaturas logo conquistarão nossos corações. E, por esse motivo, embarcaremos na apaixonante tarefa de buscar mil e uma maneiras de deixá-los confortáveis e contentes. Assim, anote algumas dicas que ajudarão o seu bichano a esbanjar felicidade.

1. Adequar a casa às suas necessidades
Para que um felino fique contente, é preciso oferecer, entre outras coisas:
– Arranhadores para que mantenha as unhas em forma (e para que não destruam os móveis)
– Espaços adequados para que ele durma confortavelmente e se sinta seguro
– Lugares para se esconder (nada o deixará mais feliz que uma caixa)
– Superfícies onde ele possa subir e contemplar o mundo de diferentes alturas
– Brinquedos que possam ser “caçados”
– Uma caixa de areia localizada em um lugar discreto

2. Permitir que ele acesse o exterior:
Embora os gatos caseiros e castrados sejam perfeitamente capazes de viver dentro de uma casa, estes animaizinhos adoram explorar ao ar livre. Assim, se houve uma possibilidade, não o prive do acesso ao jardim, à cobertura ou à varanda. Se isso não for possível, uma janela com vista para o exterior também é uma boa opção. Mas claro, tenha cuidado para que o animal não escape e corra perigo de se perder ou sofrer acidentes.

3. Brincadeiras e carinhos:
Estes charmosos felinos amam brincar e ser acariciados. Mas são eles próprios que determinam o momento adequado para estas atividades. E também deixam muito claro quando é o momento certo de parar. Além disso, os felinos aceitam carinho apenas em determinadas partes de seus corpos, que podem variar de animal para animal. Então, com observação, paciência e muita tentativa e erro, você aprenderá como fazer um gato feliz na hora da brincadeira e dos carinhos.

4. Um companheiro felino:
Embora em algumas situações possa haver problemas de cio ou adaptação, principalmente se forem animais adultos, o ideal é ter mais de um gato em casa. Além de fazerem companhia para o outro e se higienizarem juntos, os bichanos também se divertirão muito. E farão a alegria de seus donos. Presenciar o espetáculo que são dois felinos brincando juntos é uma das melhores coisas da vida.

5. Alimentação adequada e petiscos:
Uma alimentação equilibrada, de acordo com as recomendações do veterinário e das características do animal, ajuda a manter uma boa saúde. E um felino saudável é também um felino feliz. Mas se você quer deixar o seu gato feliz de verdade, recompense-o com alguma comida que ele gosta muito. Sempre na medida exata e sem colocar em risco a sua dieta, não deixe de mimar o seu bicho de estimação com algum petisco. Se tiver qualquer dúvida, converse com um profissional de sua confiança.

Receba primeiro as notícias do Jornal Diário do Alto Vale, faça parte do grupo de Whatsapp. Clique aqui