Por: Guilherme Reginatto | 02/08/2019

Vale ou não?

A contratação de Dani Alves pelo São Paulo caiu como uma bomba no mercado da bola brasileiro. Um dia após o anúncio oficial, começaram os debates sobre ser ou não um bom negócio para o tricolor. De acordo com o jornalista Jorge Nicola da ESPN, há duas versões sobre os vencimentos do jogador, a primeira e mais provável é de que ele receberá R$ 1,3 milhão por mês sendo que R$ 500 mil serão pagos por investidores, o clube desembolsaria R$ 800 mil mensais. A outra é que ele receberia R$ 1,8 milhão por mês com parte também sendo custeada por investidores. De qualquer forma eu considero um tiro no meio do alvo, uma bola muito dentro. Dani Alves é um MONSTRO, é simplesmente o jogar que mais ganhou títulos no mundo, jogou a última Champions em altíssimo nível pelo PSG e foi o melhor jogador da Copa América sendo capitão do Brasil. É um negócio comparável à vinda de Ronaldo em 2008 para o Corinthians. Dani Alves não é apenas um craque, é um líder, torcedor do São Paulo, polivalente, joga na lateral e no meio (e é melhor que todos os meias do clube), é um campeão. Se ele levar o clube, que vive uma escassez de títulos, a vencer uma copa do brasil, por exemplo, já se pagou. Dani Alves representa o resgate da confiança tricolor e coloca o clube em outro patamar. Na minha opinião, vale, e vale muito!

 

No sufoco, mas valeu!

Não poderia deixar de escrever sobre a classificação do Flamengo na Libertadores. Enquanto jornalista, preciso reconhecer que não houve o pênalti no Rafinha, porém considero que apesar disso o Fla teria alcançado o placar de 2 a 0, os gols seriam construídos de outra forma. Enquanto Flamenguista foi o dia de desabafar, quem é rubro-negro sabe o quanto o torcedor foi zoado, teve todo o tipo de piada, até meme dizendo que “na Austrália o Fla já foi eliminado” saiu no dia do jogo. Quando veio o apito final, só restava extravasar, e da mesma forma que o flamenguista teve de aturar a zoação, os rivais tinham que ouvir. Faz parte, esse é o futebol, um dia é da caça, outro do caçador e por isso que é tão legal.

 

Esquadrão Nostalgia

Me divirto com esse quadro relembrando grandes equipes do futebol mundial, e meu colega de Hora da Resenha, Paulão, um cara que admiro muito pelo conhecimento que tem na área, tem colaborado me encaminhando alguns times que são verdadeiras lendas, como o de hoje: Time base: Stefan Klos; Stefan Reuter, Jürgen Kohler (Júlio César), Matthias Sammer (Wolfgang Feiersinger), Martin Kree e Jörg Heinrich; Paul Lambert (Steffen Freund) e Paulo Sousa (Michael Zorc); Andreas Möller; Karl-Heinz Riedle (Heiko Herrlich / René Tretschok) e Stéphane Chapuisat (Lars Ricken). Técnicos: Ottmar Hitzfeld (1994-1997). Talvez você não se lembre (eu mesmo não lembrava), mas esse time do Borussia Dortmund venceu nada menos que a Juventos de Zidane, Vieri, Del Piero, e Deschamps na final da Champions League de 97, e se tornou campeão do mundo no mesmo ano batendo o Cruzeiro. Além disso foi Bicampeão Alemão (1994-1995 e 1995-1996) e Bicampeão da Supercopa da Alemanha (1995 e 1996). Nada mal hein? Valeu Paulão!

 

Histórico

Dia 14 de Agosto acontece a final da Supercopa da Europa entre o campeão da Champions League e da Europa League, Liverpool e Chealsea. Até aí tudo bem, o diferencial dessa partida é que pela primeira vez na história, um jogo organizado pela UEFA será apitado por uma mulher. A decisão saiu nesta sexta-feira e a responsável pela arbitragem da partida será Stéphanie Frappart, da França. Aos 35 anos, Stéphania Frappard já foi, por exemplo, a primeira mulher a apitar uma partida do Campeonato Francês masculino. Boa sorte!

Arte – Carina Brandl / DAV