Por: Guilherme Reginatto | 02/04/2019

Cuidado para não banalizar

O machismo existe e precisa ser combatido, em especial no esporte, porém há de se ter cuidado para não banalizar o termo e torná-lo sinônimo de “lugar comum” quando merece toda a atenção possível. Na semana passada a jogadora de vôlei Natália acusou a CBV de machismo já que o ranking atribuído aos atletas foi retirado do regulamento da superliga masculina e não da feminina (o ranking tem como objetivo tornar a competição mais equilibrada, mas prejudica as transferências o que é ruim para os atletas). Acontece que o ranking existe por opção dos clubes, inclusive o clube em que a Natália joga votou a favor da manutenção do mesmo. No caso do masculino os clubes optaram por seis votos a cinco à favor da exclusão do rankiamento, já no feminino apenas um clube votou pela exclusão. Ou seja, a decisão é dos clubes e não da CBV e nada tem a ver o com o gênero dos atletas. Eu particularmente sou contra o ranking e acho justo que a decisão dos clubes seja criticada, porém chamá-la de machista é levantar uma polêmica que desvirtua o foco real do problema. O machismo existe e é algo muito sério, não deixemos caí-lo em descrédito banalizando-o.

Imagem do fim de semana

Essa merece ser compartilhada mil vezes! No jogo entre Coritiba e Paraná pelo estadual, o mando era do Coxa e a partida em torcida única. Eis que surge um senhor de mais idade com a camisa do Paraná no meio da torcida organizada rival. O policiamento correu para tirar o torcedor, mas acreditem, foi impedido pelos próprios torcedores que fizeram questão de deixar o torcedor paranista curtir o jogo numa boa. Foi uma festa. Como sempre deveria ser.

O futebol e o dinamismo

É impressionante como em uma ou duas semanas tudo pode mudar no futebol. O São Paulo que vinha sendo criticado e quase ficou de fora das quartas de final do paulistão, pode muito bem agora chegar à final eliminando o favorito Palmeiras. O Fluminense que estava virtualmente eliminado do Carioca garantiu uma vaga na semifinal no apagar das luzes graças ao rival Flamengo. O Flamengo que venceu a Taça Rio e está comemorando pode talvez nem mesmo chegar à final do estadual caso perca para o próprio Fluminense. O Vasco passou em um minuto do time que seria campeão dos dois turnos para o time que perdeu para os reservas do rival. No futebol tudo pode mudar a qualquer momento, num piscar de olhos, e é isso que faz esse esporte tão fascinante. O que vai ser do restante da temporada? Quem arriscar um palpite é doido.

Para descontrair

Já que ontem foi dia 1º de Abril, aqui vão algumas “desculpas” já conhecidas no meio do futebol que poderiam muito bem ser usadas somente nessa data:
“O São Paulo nunca foi campeão da Copa do Brasil porque sempre disputa a Libertadores”; “Não existe racha no elenco, o clima no vestiário é ótimo, o grupo está unido”; “Perdemos na hora certa”; “Não fechei por causa do salário, vim para esse clube por causa do projeto”; “Não sei de proposta nenhuma, deixo isso com meu empresário, meu desejo é ficar” (semanas antes de fechar com o rival).

Sobe

Aos 21 anos, Charles Leclerc é o piloto sensação da fórmula 1. Não venceu a prova do Bahrein por problemas no carro, é visto por alguns especialistas como uma jóia mais valiosa que Max Verstappen. Olho nele!

Desce 

Vettel é o pior piloto entre os melhores da Fórmula 1. O alemão foi superado pelo companheiro de equipe novato, rodou sozinho em uma disputa por posições e terminou a prova apenas na quinta posição.