Por: Guilherme Reginatto | 11/12/2018

Não sou vidente, muito menos pai de santo, mas quando o União de Taió eliminou nas quartas de final o Guarani, que na minha opinião tinha o melhor elenco da Liga, passei a apostar todas as minhas fichas nos taioenses. Aquele jogo colocou o time, que ainda era visto com desconfiança, como um sério candidato ao título, foi um divisor de águas e certamente os próprios jogadores passaram a acreditar que era possível vencer a competição após avançar às semis. Destaco 4 jogadores da campanha do União, o goleiro Elton, os atacantes Grisley e Índio e o zagueirão Nino, este último não tem o estereótipo de jogador, é o famoso “gordinho”, mas se posiciona como poucos e é um dos melhores cobradores de falta da competição, fez gols importantes, inclusive. Parabéns União pelo 11º título em competições regionais. Camisa pesa muito!

Que sina!

Perder para o maior rival como no caso do Boca é sempre frustrante, agora nada é pior do que a situação do volante Gago. Ele simplesmente rompeu o tendão de Aquiles pela terceira vez, e tem um detalhe, todas foram contra o River! Perder um título e ainda sair de campo, mais uma vez, com uma lesão série e tudo isso diante do maior rival, não deve ser fácil de digerir.

Que falta que faz…

Tudo bem que Benedetto tem méritos por ter marcado 4 gols em 5 jogos nessa Libertadores, todos gols importantes. Porém o mais importante de todos, ele perdeu. No fim da partida em La Bombonera ele teve a bola do jogo nos pés e não fez. O gol teria dado o título ao Boca caso o empate na Espanha permanecesse. Você pode fazer 30 gols importantes, mas não fizer aquele que aparece no momento mais decisivo, a bola vai punir.

Um ano para ser esquecido

Eduardo Bandeira de Mello certamente não vai querer se lembrar de 2018 no futuro. Em apenas 6 meses ele conseguiu ser eliminado na semifinal do carioca, não foi capaz de levar o Flamengo à conquista de um título de expressão, perdeu as eleições para deputado federal e de quebra, viu seu candidato à sucessão presidencial no Fla ser derrota pela chapa da oposição. Que fase!

Campeão!

O piloto ibiramense Willian Jaeger é mais uma vez campeão estadual de velocidade na terra na categoria Stock Opala 5000. Em um fim de semana perfeito no autódromo Max Mohr em Ascurra ele fez a poli e venceu as duas baterias o que garantiu a taça de 2018. De quebra o pai de Willian, Frederico Jaeger conseguiu uma segunda colocação entre os Ômegas. Para o ano que vem existe a expectativa de que a prova de abertura do campeonato em fevereiro seja realizada em Lontras, tomara!