Por: Cláudio Prisco Paraíso | 24/01/2019

Os nomes, as ideias e as propostas mudaram. O governador Moisés da Silva representa, sim, a nova política, que tem respaldo de parte majoritária da população catarinense. Ao extinguir as Agências de Desenvolvimento Regional, o mandatário cumpriu, logo de cara, uma das principais promessas de campanha.

Mas há situações que ainda vão levar tempo para mudar. Se é que vão mudar. Como por exemplo, a realidade de o dinheiro público estar concentrado em Brasília.

Legítimo representante da nova política, Moisés foi, ontem, à Capital Federal fazer o que todos os seus antecessores fizeram: de pires na mão, percorreu gabinetes pedindo recursos para o Estado.

Está certo o governador. Por ora, esse é o jogo. O distinto público, contudo, também espera que ele faça a nova política e cobre do presidente Jair Bolsonaro a revisão do pacto federativo. Foi promessa de campanha do então candidato do PSL à Presidência implementar a filosofia “Menos Brasília, mais Brasil.” Os catarinenses aguardam ansiosos por essa redefinição, que faria justiça social a um Estado produtor e que arrecada muito mais impostos do que recebe de recursos federais. Historicamente!

Primeiro turno
Senador eleito Esperidião Amin vem alertando que a eleição para o comando do Senado, que é estratégica, pode se definir em primeiro turno. Segundo ele, não há nada no regimento que estabeleça o segundo round eleitoral na Câmara Alta. Por isso também, Amin defende o voto aberto para a escolha. O catarinense e a torcida do Flamengo sabem, a esta altura que, se o voto for secreto, Renan Calheiros, o notório, tem tudo para liquidar a fatura no primeiro turno.

Segurança
Deputado federal mais votado de Santa Catarina, com mais de 179 mil votos, o comunicador Hélio Costa (PRB) foi o primeiro congressista a visitar, nessa terça-feira, a Aprasc, presidida pelo subtenente da reserva, João Carlos Pawlick.

Fio desemcapado
Costa, que se projetou como repórter (e o título da nota era um de seu bordões) e apresentador em coberturas policiais, tem uma relação de mais de 40 anos com as forças de segurança e garantiu que terá como uma das principais bandeiras a defesa da segurança pública. “Sempre tive uma ótima relação com as polícias militar e civil. Vamos trabalhar fechados defendendo os interesses dos nossos policiais e bombeiros em Brasília”, destacou Hélio Costa.

Transporte escolar
O presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, entregou ao governo de SC pedido de revisão dos valores de convênios pagos aos municípios no transporte escolar. Em sua primeira agenda de trabalho na condição de presidente da Federação, Ponticelli esteve com o secretário de Educação, Natalino Uggioni, com o secretário da Fazenda, Paulo Eli e com o governador de SC, Carlos Moisés da Silva, em audiências distintas na segunda-feira (21/1), que trataram de temas do municipalismo catarinense.

Direto ao ponto
São absolutamente vazias as críticas à presença de Jair Bolsonaro em Davos. Ele falou o que devia, curto e grosso, almoçou no bandejão e ficou em hotel 10 vezes mais barato do que Dilma e Lula. A objetividade e simplicidade são qualidades ímpares.