Por: Cláudio Prisco Paraíso | 30/01/2019

O empresário Alexandro Fernandes, um dos coringas da administração do ex-prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) em Blumenau, deixou a Secretaria de Infraestrutura do município. Ali, atuava há mais de seis meses. Na municipalidade, Fernandes serviu por mais de seis anos. Justamente o período em que o tucano governou a cidade e, no ano passado, de abril para cá, ele também esteve no colegiado do atual prefeito, Mário Hildebrandt.

Oficialmente, Fernandes deixa o Executivo para seguir a vida na iniciativa privada. Nos bastidores, contudo, a informação aponta para um estremecimento entre o atual e o ex-mandatário da cidade.

Hildebrandt, vale lembrar, só assumiu com a renúncia de Napoleão em março do ano passado. O jovem tucano foi candidato a vice-governador. Sua renúncia permitiu a ascensão do gestor da vez. O prefeito, registre-se, vai perdendo apoio. O de Alexandro Fernandes, que também presidiu o Samae e comandou as secretarias da Fazenda, Administração e Comunicação, além da Infraestrutura, a mais recente.

Legislativo
Na Câmara de Vereadores, a oposição já tem a maioria. E fez a nova mesa diretora, que agora voltou à batuta do MDB! Ou seja, o prefeito perde colaboradores que o ligavam ao ex-prefeito, perdeu a maioria e a mesa do Legislativo. Alexandro Fernandes tem o DNA de Napoleão e sua saída pode significar que Hildrebrandt e o grupo do tucano podem estar separados nas eleições do ano que vem.

Perda
Desembargador aposentado e candidato ao Senado no pleito do ano passado, o tubaronense Lédio Rosa de Andrade morreu agora de manhã em Florianópolis. Estava com 60 anos. As causas da morte ainda não foram divulgadas.

Lédio era um homem de bem e respeitado nos meios jurídicos e acadêmicos. Ele também foi professor da UFSC e era muito ligado ao ex-reitor da Universidade Federal, Cao Cancellier, que se suicidou depois de uma controversa operação da Polícia Federal.

Referência
O desembargador aposentado tinha especialização jurídica em Barcelona, Espanha. No país europeu, ele fez vários cursos de Doutorado em Direito, Moral e Filosofia.

Antes de filiar-se ao PT e candidatar-se ao Senado em 2018, Lédio Rosa de Andrade se notabilizou por conduzir o Programa Lar Legal, no âmbito do Tribunal de Justiça.

Justiça
No mesmo dia em que esta humilde coluna pediu nomes, responsabilidades, justiça em relação à vergonha de Brumadinho, cinco engenheiros da Vale foram presos. Uma feliz coincidência.