Por: diario | 24/05/2018

O deputado estadual, Dirceu Dresch (PT/SC), lamentou na terça (22), na Tribuna da ALESC, o atual momento vivido no Brasil. Disse que o aumento de 56% do diesel em 10 meses preocupa não só os caminhoneiros, mas também todos os que têm carro e as famílias que ganham salário mínimo e tiveram oportunidade, pela primeira vez na vida, com a melhoria do poder aquisitivo durante os governos Lula e Dilma, de adquirirem e manterem o seu veículo.

“O governo Dilma adotou a política de segurar os preços dos combustíveis para não aumentar a inflação. Agora a inflação não aumenta porque as pessoas não têm poder de compra. Está sobrando produtos nas prateleiras e o Brasil está praticamente parado”, disse.

Segundo Dresch, muita gente foi induzida pelos grandes meios de comunicação, especialmente a rede Globo, a ir para as ruas para derrubar a presidenta Dilma e ajudou a criar uma crise com a tamanha procedência como a que estamos vivendo. “Estamos perdendo condições que tínhamos conquistado, como a de sair da 16ª economia para 5ª economia mundial. O Brasil está andando de ré e sem perspectiva de recuperação”, comentou.

O deputado afirmou parte da população não entendeu o que estava por trás, mas um dos grandes compromisso para o Temer colocar a faixa presidencial foi entregar o petróleo. O caminho da entrega do patrimônio público, como do setor de energia e do petróleo, é primeiro reajustar os preços para as empresas se tornarem lucrativas para depois entregar. “Esse é o rito do golpe”, salientou.

Dresch salientou que esta semana aconteceu outra situação muito triste que foi a extinção dos fundos soberanos. A estratégia dos presidentes Lula e Dilma, a exemplo da Noruega, que explora de forma sustentável os recursos de petróleo, foi o de trazer receitas para esse fundo para garantir qualidade de vida para o seu povo para os próximos 100, 200 anos. “Isso que é estratégia a longo prazo. Esse grupo que tomou de assalto o Governo volta ao passado, entrega o petróleo cru e compra gasolina refinada de fora”, criticou. O deputado disse, com o fundo soberano e o fundo do petróleo o país poderia investir 75% na educação e 25% na saúde. “Agora vão levar esta renda para fora e enriquecer os estrangeiros”, afirmou.

Para ele, este é o resultado do país governado por essa turma que já governou o Brasil por muito tempo e que agora volta à mesma lógica, da miséria e do desemprego. “Enquanto investimos na recuperação da indústria naval, em pesquisa e tecnologia nacional para extração do pré-sal, a turma do golpe transforma o Brasil em colônia, de novo”, finalizou.

Receba primeiro as notícias do Jornal Diário do Alto Vale, faça parte do grupo de Whatsapp. Clique aqui