Por: diario | 11/11/2018

Os corpos de mais quatro vítimas foram encontrados na madrugada deste domingo (11), 24 horas após um deslizamento atingir imóveis no Morro da Boa Esperança, em Niterói, Região Metropolitana do Rio. O número de mortos no local subiu para 14. Outras onze pessoas foram resgatadas com vida.

O trabalho de retirada dos escombros continua nesta manhã. Segundo os bombeiros que estão no local, uma mulher foi retirada morta dos escombros por volta da 1h30, e os corpos de três jovens foram resgatados às 4h45. De acordo com a equipe de resgate, os corpos estavam embaixo de uma laje, o que dificultou a retirada. As buscas foram mantidas durante toda a madrugada, e interrompidas no início da manhã.

De acordo com a direção do Hospital Estadual Azevedo Lima, seis pacientes vítimas do deslizamento foram levados para a unidade. Entre as vítimas há duas crianças, uma que já recebeu alta e a outra que apresenta estado de saúde gravíssimo. Dos quatro adultos levados para o hospital, três já receberam alta e um permanece estável. A direção do Hospital Estadual Alberto Torres informa que recebeu um paciente vítima do mesmo deslizamento, um adulto que permanece estável.

No início da manhã deste domingo, as buscas por vítimas foram encerradas, mas os bombeiros continuam no local para limpeza da área e para a possibilidade de alguma outra pessoa ser identificada como desaparecida.

Equipes da prefeitura estão monitorando a área para identificação de risco de novos desabamentos.

A Defesa Civil diz que a região ainda está perigosa e que precisa de monitoramento. Um drone está sendo usado para auxiliar na avaliação.

Documentos de identificação das vítimas, encontrados nos escombros, estão sendo deixados na Associação dos Moradores.

Para o trabalho noturno, um gerador foi instalado na comunidade para ajudar a iluminar a área. Várias equipes do Corpo de Bombeiros atuavam no local, com a ajuda de voluntários.

Segundo a Prefeitura de Niterói, mais de 200 profissionais, entre eles 80 bombeiros, trabalham no socorro às vítimas e nas buscas sob os escombros.

INFORMAÇÕES G1