Por: diario | 29/03/2017

Na manhã de terça-feira (28) aconteceu a Assembleia Geral Ordinária da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi) e também a Assembleia do Consórcio Intermunicipal Multifinalitário dos Municípios da Amavi (Cis-Amavi).

Os eventos, que durante toda a manhã ocorreram no auditório da associação, tiveram em pauta diversos assuntos de interesses das 28 cidades que compõem o bloco. Destaque para a apresentação do Programa Cidade Empreendedora, do Sebrae, e para a prestação de contas do exercício de 2016 do consórcio.

Ainda, os 21 chefes de Executivo presentes puderam entender os benefícios da associação e os deveres dos membros. Como muitos prefeitos estão iniciando seu primeiro mandato, esta foi uma chance de se aprofundar e buscar aplicar em suas gestões um melhor desempenho.

Este é o entendimento do prefeito de Rio do Oeste, Humberto Pessati (PMDB), que também acumula o cargo de presidente da Amavi neste mandato. “Os prefeitos puderam conhecer melhor a estrutura da Amavi, saber tudo o que ela pode auxiliar e melhorar nas prefeituras e, enfim, na qualidade de vida de todo o Alto Vale”, afirmou

Além das soluções e serviços apresentados na reunião, os próprios gestores municipais tiveram a possibilidade de levantar questões que julgaram pertinentes para o desenvolvimento da região. “No final da reunião os prefeitos solicitaram mais demandas e resolvemos fazer uma reunião específica para isso, pois existem sugestões em mais áreas e iremos falar em que a Amavi pode trabalhar nos municípios”, explicou Pessati.

Problemas comuns que os municípios atravessam no decorrer de suas atividades podem ser resolvidos com uma atuação conjunta, e é deste modo que compor uma entidade associativa beneficia as cidades-membro.

O prefeito de Imbuia, João Schwanbach (PMDB), cita como exemplo a questão do atraso no recebimento de remédios, problema que ao ser debatido na assembleia foi apontado também por outros colegas. “Hoje foi falado aqui das empresas que não estão entregando os medicamentos. Às vezes as pessoas comentam que é o prefeito ou a gestão que está deixando o medicamento faltar, mas não é isso, a gente quer realmente atender bem a nossa população […] são coisas que acontecem em uma administração, e que a gente pede desculpas à população, mas que estamos conversando com a Cis-Amavi para a gente realmente colocar estas questões em dia”, disse Schwanbach.

Já o prefeito reeleito de José Boiteux, Jonas Butewell (PSD), fala que apesar de estar iniciando seu segundo mandato consecutivo, este ciclo é formado de novos desafios e é importante ter projetos para buscar apoio de parlamentares a nível estadual e federal.

Esta também é uma atuação da associação, que dispõe de assessoria técnica em diferentes áreas da administração pública, colaborando com os municípios para que obtenham recursos para aplicação nas benfeitorias à comunidade.

Jonas comenta que “foi interessante, hoje houve uma apresentação que foi solicitada para que os novos prefeitos tenham o conhecimento dos técnicos e como a Amavi pode ajudá-los”, avalia o prefeito.

Airton Ramos