Por: diario | 23/05/2017

A assembleia de maio da União de Câmaras e Vereadores do Alto Vale do Itajaí (Ucavi) foi realizada neste sábado (20), na Câmara de Vereadores de Dona Emma, em comemoração ao aniversário de 55 anos de emancipação político-administrativa do município. Na pauta do dia esteve uma palestra com o secretário de Estado de Planejamento, Murilo Flores.

O auditório do plenário da Câmara ficou lotado por vereadores de toda a região. O presidente do Legislativo de Dona Emma, Gilmar Graupner (PPS), destacou a força que as assembleias dão às demandas municipais. “A reunião é muito importante porque a gente tem o poder de levar os problemas aos deputados, ao Governo Federal, e a gente fica muito feliz de poder fazer essa reunião na festa dos 55 anos do município”, disse.

O prefeito de Dona Emma, Nerci Barp (PDMB), comentou as dificuldades que os municípios enfrentam atualmente e a superação dos gestores. “Com muito planejamento, muito trabalho, muita dedicação, os recursos são poucos, mas se nós conseguirmos continuar o trabalho que nós iniciamos, certamente vai melhorar muito a qualidade de vida das pessoas”, declarou o prefeito, que também se mostrou preocupado com o momento de incerteza econômica e política que o País vive, que pode afetar o caixa das prefeituras. “O meu receio é com os fatos que estão acontecendo e que podem nos afetar, não só Dona Emma, como todos os municípios do Brasil”, acrescentou.

O presidente da União de Vereadores de Santa Catarina (Uvesc), Adelar José Provenci, também acompanhou a assembleia, e destacou a importância do Legislativo e Executivo estarem unidos, para poder superar o momento difícil. Provenci comentou que tem percebido por todo o território catarinense, a economia que os vereadores têm feito para ajudar os gestores municipais. “Quando o presidente devolve um recurso para o prefeito, o prefeito vai fazer o que ele quiser, é um cheque em branco que o Legislativo está dando para o prefeito. Então, hoje as câmaras de vereadores têm um papel fundamental de trabalhar em união com o Executivo, porque nós sabemos o momento que atravessa o nosso país”, falou.

Durante a palestra, o secretário de Estado de Planejamento fez comparativos da arrecadação e desenvolvimentos de países ricos com o Brasil. Ele comparou, por exemplo, que a Alemanha tem 40% de tributos, e o Brasil 35%. Apesar da diferença percentual não ser grande, ele demonstrou a diferença do Produto Interno Bruto (PIB), que é muito alta. Segundo Flores, uma das explicações é a quantidade populacional de cada país. “Quando a gente pega tudo o que é tributo e dividimos por pessoa, a nossa capacidade de ação é muito menor que a de um país rico. A classe média brasileira, por exemplo, vai para a Europa ou para os Estados Unidos e vê aquelas rodovias maravilhosas, serviços funcionando, e pergunta: por que nós não temos isso? Uma das respostas, e que não é a única, é essa, quando nós dividimos o que arrecadamos de tributos por 200 milhões de habitantes, a nossa capacidade de ação é muito menor que a de países ricos”, afirmou.

O presidente da Ucavi, Elcio Bonacolsi, destacou a importância que a elaboração de projetos – planejados de acordo com a realidade econômica atual – tem na captação de recursos. “Não adianta ir para Florianópolis e pedir um recurso de um valor exorbitante, porque a gente sabe que aí o município não vai ser contemplado, porque o Estado não tem esses recursos, não adianta fazer projeto fora da realidade”, concluiu.

Albanir Júnior


Feira que busca conscientizar a população sobre impostos chega a Rio do Sul