Por: diario | 07/10/2019

Certamente, a crucificação de Jesus é o fato mais conhecido no mundo inteiro, mas também o menos compreendido. Até mesmo os filmes retratam apenas o sofrimento físico do homem Jesus. Porém, a Bíblia revela que a cruz é muito mais profunda, pois envolve o sofrimento interno de um Deus que Se fez homem e Se humilhou até à morte, negando todos os Seus direitos por um povo que O rejeita até os dias de hoje.

Em Mateus 16:24 está escrito: “Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me”. Todo homem deseja ser guiado e abençoado por Jesus, mas há uma condição para estarmos sob Seus cuidados. Precisamos tomar a cruz! O que isso significa? Será que teremos que ser pregados em dois pedaços de madeira? É óbvio que não. Por isso, precisamos compreender que a crucificação é um ato subjetivo e interno. Filipenses 2:5-8 diz: “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até a morte e morte de cruz”. Um sentimento é algo totalmente pessoal e interior. Então, se quisermos viver em comunhão com Deus teremos que ter o mesmo padrão de vida interior de Jesus. Suas decisões terão que ser nossas decisões, Suas ações e reações terão que ser nossas ações e reações… Teremos que adotar o estilo de vida do homem Jesus.

Nos quatro Evangelhos descobrimos que Jesus foi o Mestre do amor, pois sabia perdoar, renunciar, aceitar e amar. Ele possuía emoções saudáveis porque não guardava amarguras, nem iras e rancores. Jesus tinha realidade de que era preciso ser pequeno para ser grande, e sempre foi fiel às leis divinas que estavam em seu coração. Nenhuma circunstância, sofrimento ou pessoa foi capaz de fazer Jesus desistir da cruz.

Em Primeira Coríntios 1:18 está escrito: “Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus”. Para a mente natural a cruz sempre será uma loucura, mas para Deus ela é o único meio de se chegar à ressurreição. Portanto, se desejamos uma vida ressurreta, com abundância de paz, amor, saúde, prosperidade e virtudes elevadas, teremos que nos sujeitar às leis da cruz. Vejamos algumas destas leis: ser fraco para ser forte; morrer para viver; descer para subir; ser louco para ser sábio; dar para ganhar; perdoar para ser perdoado. Que a partir de hoje você viva pelas leis da cruz!

Av. Governador Jorge Lacerda, nº 380 

Bairro Budag Rio do Sul (47) 98810-4000
Email: [email protected]