Por: diario | 12/02/2020

 

Em 2019 o estacionamento rotativo da Área Azul gerou um recurso médio mensal de aproximadamente R$ 138 mil em Rio do Sul. A concessão é administrada pela Apae do município que utiliza a verba para saldar os gastos com os 354 alunos, mais os 111 funcionários ligados direta ou indiretamente a entidade. Cerca de 10% da receita liquida ainda é repassada mensalmente a Associação Renal Vida, Conferência de São Vicente Paulo e o Lar da Menina.

 

No total são 1.335 vagas de estacionamento que são monitorados por cerca de sete horas diárias. A cobrança é feita a cada meia hora no valor de R$ 1. Conforme a coordenadora da Área Azul, Marlise Kanitz Kuhlmann, cerca de 35% do total das vagas disponíveis são efetivamente transformadas em débito.

“Muitos estacionam o veículo e voltam antes mesmo que o monitor consiga chegar até o carro para emitir a via. Por isso existe uma falsa impressão que de que a maioria das vagas estão ocupadas e gerando débito”, afirma.

 

De acordo com o presidente da Apae de Rio do Sul, Dalmir da Silva, o objetivo principal do serviço é oferecer um estacionamento rotativo do qual a população possa ter acesso facilitado.

“Muitas pessoas questionam, mas o nosso objetivo com a Área Azul, além é claro, de arrecadar recursos para Apae e outras entidades, é oferecer um estacionamento do qual o cidadão tenha acesso. Para isso a limitação de duas horas se torna essencial, caso contrário seria difícil achar um local para estacionar no centro porque as vagas estariam quase sempre ocupadas”, completa.

 

Receita

 

Além do dinheiro arrecadado com a Área Azul, a Apae recebe cerca de 2% da sua receita do Fundo Nacional de Assistência Social. Os outros 33% são repassados pelo Fundo Social, por meio da Lei Julio Garcia. O convênio com o SUS cobre cerca de 15% de gastos que são direcionados a assistência médica e psicológica dos alunos.

 

Os municípios de Rio do Oeste, Agronômica, Aurora, Lontras Laurentino e Presidente Nereu repassam juntos aproximadamente 13% da receita da entidade. Isso porque estes municípios têm alunos que frequentam a Apae de Rio do Sul e um valor estipulado por cada aluno é pago à entidade. Outra fonte de renda da Apae são as doações e contribuições que correspondem a 3%. Já os pedágios e a festa anual juntos equivalem a cerca de 10% da receita.

 

Despesas

 

A folha salarial é o maior encargo da Apae. A entidade utiliza cerca de 74% dos recursos para cumprir com o salários dos 58 funcionários. Atualmente todos são pagos diretamente com recursos da Apae, destes 26 prestam serviço à Área Azul, dentre monitores (23), coordenação e secretaria.

 

Os gastos com transporte, alimentação bens em geral, eventos esportivos e culturais, materiais de limpeza, manutenção e ainda água luz e telefone somam os outros 26% dos encargos da entidade.

 

Professores

 

Ao todo a entidade conta com 53 profissionais ligados a educação, dentre professores, diretoria pedagógica e orientação pedagógica, que são pagos diretamente por meio Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE).

 

Jorge Matias