Por: diario | 1 mês atrás

Pelo menos 1,2 mil venezuelanos cruzaram a fronteira e deixaram o Brasil após o tumulto registrado nesse sábado (18) em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela, informou neste domingo (19) a Operação Acolhida, que atende imigrantes que entram no país.

Segundo o comandante da Operação Acolhida, Hilel Zanatta, cerca de 1,2 mil imigrantes deixaram a cidade fronteiriça e retornaram a Venezuela. Parte deles estava no Centro de Triagem, que suspendeu os atendimentos no sábado, mas retomou os trabalhos neste domingo (19).

“Cerca de 1,2 mil cruzaram a fronteira de volta. Aqui de dentro do posto [de atendimento aos imigrantes] a gente contabilizou 500 pessoas em atendimento, e acreditamos que o restante eram venezuelanos moradores [de Pacaraima] que regressaram a Venezuela por questões de segurança”, afirmou o comandante.

O tumulto começou na manhã de sábado após a família do comerciante Raimundo Nonato de Oliveira, de 55 anos, relatar à Polícia Militar que ele havia sido assaltado e agredido por um grupo de venezuelanos. Raimundo está internado em Boa Vista.

Em retaliação, moradores de Pacaraima se organizaram por redes sociais e atacaram acampamentos de venezuelanos. Os locais foram destruídos e queimados.

Vândalos destroem objetos e expulsam venezuelanos de Pacaraima, Norte de Roraima (Foto: Inaê Brandão/G1 RR)

Vândalos destroem objetos e expulsam venezuelanos de Pacaraima, Norte de Roraima (Foto: Inaê Brandão/G1 RR)

Venezuelanos reagiram à expulsão atacando carros brasileiros que estavam do lado venezuelano da fronteira, segundo os relatos moradores. O comércio de Pacaraima ficou fechado durante todo o sábado, mas reabriu as portas nesta manhã. “Eu estava no meio dos confrontos. A gente foi para cima expulsando eles [venezuelanos] até o outro lado da fronteira, e eles revidaram com pedra e paus”, disse o morador Wendel Vale.

A prefeitura da cidade também confirmou que o município está ‘vazio’, apesar da fronteira seguir aberta. Estima-se que 1 mil moradores participaram do protesto. A BR-174, que liga Boa Vista a cidade ficou bloqueada com pneus e fogo por cinco horas. (Informações G1)