Por: diario | 03/08/2018

Segundo dados do Ministério da Saúde, 1 em cada 5 pessoas está acima do peso. Não é segredo que o peso extra e a falta de atividade física são fatores de risco para doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, além de aumentar o risco de ter um infarto ou um acidente vascular cerebral (AVC), principais causas de mortes em todo o mundo.Segundo dados do Ministério da Saúde, 1 em cada 5 pessoas está acima do peso. Não é segredo que o peso extra e a falta de atividade física são fatores de risco para doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, além de aumentar o risco de ter um infarto ou um acidente vascular cerebral (AVC), principais causas de mortes em todo o mundo.A boa notícia é que uma pesquisa publicada no JAMA Internal Medicine mostrou que quando um dos membros do casal começa a mudar seu estilo de vida, incentiva o (a) parceiro (a) a fazer o mesmo. Para a psicóloga Marina Simas de Lima, terapeuta de casal família e cofundadora do Instituto do Casal, quando nos sentimos apoiados pelo (a) parceiro (a), há uma motivação maior em alcançar as metas propostas.“Nosso (a) parceiro (a) é a pessoa mais próxima de nós em um relacionamento afetivo. Assim, o incentivo dele/dela pode realmente facilitar o processo da mudança e aumentar o nível de engajamento, seja para perder peso, para largar o cigarro, para iniciar uma prática esportiva ou adotar hábitos mais saudáveis em geral”, diz Marina.

 

Quer receber as notícias no Whatsapp? Clique aqui

 

Efeito cascata

Outra excelente notícia é que quando o assunto é perda de peso, os benefícios são ainda mais importantes. Uma pesquisa recente, feita com 130 casais, pela Universidade de Connecticut, mostrou que quando um membro do casal se compromete a perder peso, as chances do parceiro perder peso aumentam de forma significativa. No estudo, um terço dos homens, cujas parceiras realizaram dieta para emagrecer, perderam 3% do peso corporal, mesmo sem participar ativamente da intervenção.Para a psicóloga Denise Miranda de Figueiredo, terapeuta de casal, família e cofundadora do Instituto do Casal, isso pode ser chamado de efeito cascata. “Desde de crianças, aprendemos a imitar/copiar comportamentos. Isso dentro de um casamento é muito comum, pois, geralmente, o casal acaba adotando ou copiando o comportamento um do outro. Assim, se um dos membros começa uma dieta e muda seus hábitos alimentares, é bem provável que incentive o outro a seguir o mesmo caminho”.

Sabe aquele ditado que diz que quando você muda, as coisas ao seu redor mudam? É exatamente isso que as pesquisas mostram. E os benefícios podem alcançar também os filhos, além do casal.

Mudar é possível, porém desafiante

Segundo Marina e Denise, nenhuma mudança é simples, pois envolve quebrar padrões de comportamento aos quais podemos estar acostumados e pode ser bastante desconfortável romper com eles.“A mudança implica exatamente em sair da zona de conforto. Exige muita força de vontade e determinação. Um casal que está acostumado a sair várias vezes para comer fora, ou pedir comida em casa ou ainda a exagerar nas guloseimas no mercado, vai precisar de muito esforço para mudar os hábitos alimentares”, refletem as especialistas. O mesmo vale para os sedentários ou fumantes, por exemplo.

Dicas das especialistas 

1. Encoraje: Incentive seu (sua) parceiro (a) a mudar os hábitos, adotando um estilo de vida mais saudável, mesmo que você não precise ou não queira fazer nenhuma mudança. 2. Elogie: Faça elogios pelo progresso alcançado, isso ajuda a reforçar de forma positiva e incentiva a pessoa a continuar firme em seu propósito. 3. Participe: Mesmo que você não esteja acima do peso, não fume e não seja sedentário, procure ser solidário (a). Como? Procure seguir um cardápio saudável, evite trazer guloseimas do mercado (ou pelo menos não coma na frente de quem está fazendo a dieta). Convide ele/ela para fazer uma caminhada. Seja uma boa influência para seu (sua) parceiro (a). 4. Não sabote: Nada pior do que alguém que procura sabotar a mudança de hábitos do outro. Evite comprar alimentos calóricos, convencer o (a) parceiro (a) a trocar a atividade física pelo sofá, entre outras estratégias que podem sabotar o esforço do outro para ter uma vida mais saudável.   5. Siga seu propósito: Mesmo que seu (sua) parceiro (a) não queira participar da sua mudança de hábitos, siga firme na sua meta. Lembre-se de que a mudança só depende de você, claro que se o outro quiser participar, será ainda melhor. 6. Encontre prazer em outra coisa:

Comer pode ser prazeroso, assim como ficar no sofá ou fumar. Quando a pessoa decide mudar os hábitos, precisa encontrar uma outra forma de prazer, fazer trocas. Descubra o prazer em outras coisas. “A satisfação conjugal também passa pela saúde física na vida a dois. Assim, o casal pode estabelecer como um projeto em comum a adoção de um estilo vida mais saudável. Nem todos precisam perder peso ou são sedentários. Mas, certamente irão encontrar algum ponto que precisa ser melhorado. Que tal refletir sobre isso?”, encerram Marina e Denise.