Por: diario | 09/05/2019

A hipertensão gestacional é uma complicação que acompanha entre 5 e 7% das grávidas brasileiras. O aumento da pressão é um mal que pode comprometer a saúde e a vida tanto da mãe quanto do bebê, assim como os riscos do diabetes gestacional. Mas, apesar dos riscos, os dois podem ser controlados com certos cuidados.

A diretora da unidade da Magras de Rio do Sul, Solange Klaumann Eising, explicou que a recomendação nutricional para as mulheres com os dois tipos de problema é praticamente a mesma. “Isso porque os cardápios são similares. Gestantes diabéticas e obesas podem gerar bebês muito pesados, com problemas respiratórios e maior risco de desenvolver diabetes no futuro. Já as hipertensas podem ter filhos abaixo do peso”.

De acordo com ela, o lado bom da história é que todas podem controlar a situação com um cardápio equilibrado. “Isso significa ficar longe de alimentos ricos em açúcar e comer a cada três horas. A manobra mantém a glicose no organismo sob controle e evita os picos de fome”.

Outro ponto importante que Solange cita, é ingerir muitas fibras, o que prolonga a sensação de saciedade e ajuda o bom funcionamento do intestino. Para essas gestantes, a dieta deve controlar calorias diárias para que, ao fim dos nove meses, o ganho de peso não ultrapasse os 11 quilos. “O controle do sal também é necessário, especialmente para as hipertensas, que não devem exceder 570 miligramas por dia, o equivalente a meia colher de café de sal. Se você é gestante e precisa de maiores informações, entre em contato com nossas nutricionistas”.