Por: diario | 23/08/2018

A volta dos acampamentos em estilo militar tem animado crianças e adultos e conquistado cada vez mais adeptos no Alto Vale. Atividades que envolvem adrenalina, disciplina e trabalho em grupo proporcionam aos participantes uma experiência única de lazer e ainda trazem ensinamentos valiosos para a vida como noções de sobrevivência na mata que podem ser usadas em caso de uma emergência.

O policial militar Nilberto Machado é um dos organizadores dos acampamentos militares na região e conta que o primeiro foi realizado há mais de 10 anos, após perceber que faltavam opções com cunho educativo. “No começo a gente fazia mais voltado para questões familiares, com parentes e amigos, mas em 2017 começamos a fazer aberto a todo o público”, lembra.

O primeiro acampamento direcionado somente para crianças, foi realizado no início deste ano em Presidente Getúlio e reuniu dezenas de estudantes de todas as escolas municipais da cidade, com uma faixa etária de 8 até 14 anos. O evento fez tanto sucesso que a ideia, que nasceu inicialmente como hobby, começou a ser expandida para outras cidades e novos públicos.

“Já trabalho com escolas e como instrutor do Proerd há quase 17 anos e percebi que hoje as crianças ficam apenas nessa rotina de televisão, celular e tecnologia e elas estão esquecendo a diversão em meio a natureza, hábitos diferentes o intuito é fazer com que eles se sintam atraídos por isso, então comecei a promover os acampamentos, porque é uma coisa que me dá prazer de organizar”.

Ele conta que o estilo militar desconstrói a ideia que vem à mente quando o assunto é acampamento e que antigamente se resumia apenas a uma barraca no meio do mato. “Essa metodologia é bem diferente, não focamos no militarismo enquanto armas, mas sim dicas de sobrevivência para que a criança saiba se virar, incentivamos que ela tenha contato com a natureza, aprenda a ter disciplina, respeito e coopere com o colega”, completa.
Independente da cidade onde é realizado, entre as atividades que fazem parte do acampamento militar estão corrida de obstáculos, contato com bichos como rã e até o famoso coró, além do preparo do próprio acampamento, entre outras. Tudo é supervisionado por profissionais voluntários como policiais militares, bombeiros e professores.

Um das atividades que mais agrada as crianças é o fio noturno, uma espécie de corda que é colocada em meio a mata e que o estudante segue na escuridão da noite. Nesse percurso ele tem diversas experiências sensoriais como auditivas, visuais e de tato. “Claro que é um brincadeira preparada com toda segurança, e que só faz quem se propõe a isso, mas é uma atividade que aguça os sentidos e rende bastante adrenalina”.
O estudante Calebe Freitas Wackerhage, de 9 anos, já participou de um desses eventos conta que adorou a experiência. Ele conta que a at

ividade preferida foi justamente o fio noturno. “Foi legal para vencer os meus medos e passar pelo fio noturno sozinho sem enxergar nada foi muito interessante. Dá bastante adrenalina até chegar ao fim do trajeto. Quero muito participar de novo de um acampamento assim e indico para todo mundo”

Próximo acampamento será em Rio do Sul

O próximo acampamento acontece de em Rio do Sul, na sede campestre da CDL na Serra Canoas nos dias 12 e 13 de outubro. As inscrições para essa edição, que desta vez não conta com a parceria de nenhum órgão público como Secretaria de Educação por exemplo, podem ser feitas pelo site www.desafioagora.com.b e custam R$ 70,00. Cada participante ganha direito a um kit para usar no acampamento.