Por: diario | 1 mês atrás

Sancionada no início deste ano, a Lei 13.802 instituiu, no Brasil, julho como o mês de luta contra as hepatites virais. O principal objetivo, é conscientizar a população sobre os riscos da doença, alertar sobre as formas de prevenção e estimular as pessoas a se vacinarem contra as hepatites e a buscarem o diagnóstico precoce.

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde apontam que no Brasil, mais de 70% das mortes por hepatites virais são decorrentes da Hepatite C, seguido da Hepatite B, com 21,8% e da Hepatite A, com 1,7%.

De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina, a ampliação do diagnóstico e adesão ao tratamento tem conseguido aumentar as taxas de detecção das hepatites B e C no estado.

Segundo a enfermeira da Vigilância Epidemiológica de Rio do Sul, Rosane Gandin da Rosa, até o momento ainda não há nenhuma ação programada alusiva ao mês, no entanto, ela salienta a importância da realização dos testes rápidos e da vacina. “A gente incentiva as pessoas a realizarem os testes, que podem ser feitos nas unidades de saúde de forma gratuita. Além do teste a gente orienta que as pessoas que não possuem a vacina que procurem a unidade de saúde mais próxima e que se imunize contra a Hepatite B. Toda pessoa tem direito a se vacinar”.

A enfermeira disse ainda, que o teste rápido não exige jejum, pode ser feito em qualquer horário do dia e fica pronto em cerca de 30 minutos. O exame é feito com a coleta de uma gota de sangue da ponta do dedo e se o resultado der positivo, é dado encaminhamento para iniciar o tratamento. Para realização do teste é necessário a apresentação de um documento com foto e o exame detecta além das hepatites B e C, o HIV e a Sífilis.

A Gerência Regional da Saúde informou que ainda não há programação oficial de ações para este mês, mas que a partir de semana que vem as atividades começarão a serem definidas.

Transmissão

Hepatite B: É transmitida pelo sangue e/ou nas relações sexuais sem preservativo. É possível contrair a doença por meio do compartilhamento de objetos como agulhas e seringas, lâminas de barbear, materiais cirúrgicos e odontológicos, materiais de manicure sem adequada esterilização ou por meio de materiais para confecção de tatuagens e colocação de piercings.

Hepatite C: É transmitida pelo sangue, uso de drogas com compartilhamento de seringas, agulhas e canudos de inalação e materiais perfurocortantes contaminados. Quem recebeu transfusão de sangue e/ou hemoderivados antes de 1993 deve fazer o teste.

Elisiane Maciel